Ginásio está fechado há anos e as promessas de recuperação se repetem, mas ainda não foram cumpridas

Prefeitura explica que os recursos necessários às obras, em grande parte oriundos do governo federal, estão garantidos

O Ginásio Domingos dos Santos, mais conhecido como “Domingão”, ao lado da sede provisória da Biblioteca Municipal Hélio Alves de Oliveira, no Parque Centenário, será reformado no primeiro semestre de 2018. A decisão foi anunciada ontem, em reunião na Câmara, onde estiveram o vereador Joel Kerber (PP), os secretários de Obras Públicas, Argus Machado; e da Educação, Rita Carneiro Fleck.

Joel falou sobre a necessidade de devolver esse espaço público para a comunidade. “Os ginásios Azulão e Domingão estão há muito tempo sem manutenção. Para completar acabaram sendo interditados”, lamenta.

Segundo Machado, a Administração está empenhada para solucionar os problemas destes locais. Quanto ao Domingão, ele explica que já existe projeto finalizado para recuperação e recursos federais e municipais garantidos, no valor total de R$ 292.500,00. Conforme Machado, a maior dificuldade é jurídica, em função do piso que foi trocado pela empreiteira Schütz e foi constatado que não atendia ao exigido. Esse processo foi à Justiça, o que gerou uma Ação Civil Pública. “A empresa está sendo notificada para fazer a troca deste piso na garantia”, observou.

De acordo com a arquiteta da Smop, Victória Freitas, se o Ministério Público liberar ou a empresa informar que não vai recuperar o piso, as secretarias poderão realizar essa etapa também e depois buscar valores referentes ao piso na Justiça. Representando a Secretaria de Gestão e Planejamento, Nadia Fabre disse que os R$ 292 mil já estão garantidos e a Administração precisa estar com essa obra licitada e iniciada até 30 de junho de 2018, para não perder os recursos federais de R$ 243.750,00.

Machado acredita que a obra, que envolve recuperação do telhado, acessibilidade, piso e instalação de corrimões pode ser realizada em quatro meses. O vereador Kerber pediu que fosse montada uma força-tarefa para solucionar o problema legal do piso.

Deixe seu comentário