Entidade está de olho nos contribuintes que declararam que guardam grande quantias de dinheiro em casa. Não há restrição, mas fato acende o alerta

“Operação Tio Patinhas” quer resolver possíveis irregularidades nas declarações

A Receita Federal está de olho nos contribuintes que declararam grandes quantias de dinheiro em espécie no Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF). Batizada de “Tio Patinhas”, foi criada até uma operação que quer investigar possíveis irregularidades nessas declarações. Por todo o Estado, mais de 36 mil contribuintes acenderam o alerta para prestar esclarecimentos. Destes, 220 são de Montenegro.

No topo da lista da Operação está um montenegrino que declarou R$ 12 milhões em espécie que, em tese, estão guardados em sua casa. No âmbito da Delegacia da Receita Federal de Santa Cruz do Sul, que engloba 69 municípios – dentre eles, Montenegro – esse é o valor mais alto constatado na declaração do IR de 2018, cujo prazo de entrega terminou no último dia 30 de abril.

Leomar Padilha, Delegado da Receita Federal. FOTO: GUILHERME BICA/ARAUTO

O delegado responsável pela região, Leomar Padilha, explica que não há nenhuma restrição em manter qualquer quantia de dinheiro em espécie. “Mas o que nós percebemos de outras experiências é que esses valores declarados, na grande maioria, não existem”, salienta. É aí que foca a Operação Tio Patinhas.

Num primeiro momento, os contribuintes visados estão recebendo avisos em meio eletrônico, pelo portal e-CAC, para que confirmem se o que declararam, realmente, é a realidade. “Em não existindo o dinheiro, ele tem que retificar a declaração”, coloca Padilha. “Ainda não é uma intimação. Ele pode retificar sem nenhuma sanção. Depois, se não for retificado, aí ele será intimado e, se tiver havido erro, estará sujeito a penalidades.”

Quem manter declarado o valor em espécie depois disso vai precisar provar que a quantia realmente existe. “Certamente vão ter diligências para verificar a existência do dinheiro”, garante o delegado. Ações in loco são esperadas.

“Não é normal você ter tanto dinheiro em casa, principalmente pelo risco que você corre hoje em dia, pela violência”, ele avalia. “E tem mais a questão do prejuízo que você tem em ter um dinheiro em casa por grandes períodos”, adiciona, colocando a questão da inflação que “corrói” o valor. Só na “poupança velha” da Caixa, os R$ 12 milhões renderiam um gordo salário de R$ 60 mil ao mês.

Ao todo, foram declarados R$ 579 milhões em espécie, por 2.645 contribuintes no âmbito da Delegacia da Receita Federal de Santa Cruz do Sul.

Tio Patinhas
Quem dá nome à operação da Receita Federal é o personagem Tio Patinhas, da Disney. Nas histórias, ele é o pato mais rico do mundo e guarda grandes quantias de dinheiro em sua mansão. Uma das imagens mais icônicas do Patinhas, inclusive, é ele “nadando” pelos montes de dinheiro que mantêm em seu cofre.
Muito sugestivo.

1,5 mil caíram na malha fina
Conforme a Receita Federal, cerca de mil e quinhentas declarações do Imposto de Renda caíram na malha fina do Fisco. É quando algo chama a atenção do órgão e precisa ser averiguado. Há o registro de um profissional autônomo da cidade, inclusive, que já foi multado em R$ 500 mil por valores não declarados. O caso foi “pego” pelo cruzamento de informações com os clientes do contribuinte que, por sua vez, haviam declarado pagamentos a ele.

Deixe seu comentário