Popular nas épocas passadas, o filtro de barro não é conhecido por muitas pessoas. Alguns só conhecem da casa dos avós ou de pessoas mais velhas. Com opções como garrafinhas de plástico e galões de água, este objeto foi substituído e esquecido. No entanto, eles são uma saída para a grande onda de poluição de plásticos e uma alternativa no quesito de manter a água pura e gelada.

Invenção brasileira que nasceu no final do século XIX e início do século XX, os filtros de barro surgiram para controlar as epidemias causadas pelo consumo de água contaminada. Na época, os serviços de água encanada das cidades eram muito insuficientes. Então, com a criação do filtro, a água chegou enfim dentro das casas, limpa e sem contaminação.

Um passo importante aconteceu quando os imigrantes italianos e portugueses chegaram no Brasil, no começo do século passado. Com eles, as velas para filtrar água, que já existiam na Europa, vieram nas malas. Feitas a partir de pedras porosas, as peças eram rudimentares. Os filtros trazidos eram de metal ou de pedra.

Um dia, entre os moradores imigrantes que se instalaram em São Paulo, alguém percebeu que as jazidas de argila do interior do estado podiam fornecer um material apropriado para potes de cerâmica. Assim, surgiram os populares filtros de barro.

Desde lá, o filtro foi evoluindo. De uma vela em formato de disco feito de cerâmica porosa, colado com breu e cera, ele se tornou o que é hoje: por dentro, uma porção de carvão e uma camada de prata coloidal. Sem esquecer do carvão ativado, para eliminar o cloro.

Mas como o filtro de barro funciona?
Para fazer com que a água seja purificada, a parte superior do filtro armazena a água e, com a força da gravidade, ela passa, de gota em gota, por uma vela esterilizante, feita de material microporoso que retém as partículas sólidas e as impurezas. Depois, uma camada interna da vela, feita de prata coloidal, esteriliza a água, livrando-a de bactérias.

Por fim, o carvão ativado que está contido no interior da vela, reduz a quantidade de cloro da água que vem da torneira, deixando-a ainda mais pura, livre de odores e de sabores impróprios. A água filtrada é então armazenada na parte inferior do filtro que, por também ser de argila, faz com que haja uma troca de calor, mantendo a temperatura da água sempre fresca. Dessa maneira, os filtros de barro conseguem manter a temperatura da água até 5ºC mais fria do que a temperatura ambiente.

Como cuidar do filtro de barro?
– As velas devem ser limpas constantemente. O ideal é fazer a limpeza sempre que a água do reservatório terminar.
– O recomendável é não lavar a vela com açúcar, sal, vinagre ou outro qualquer liquido químico. Pois isso pode atrapalhar o aparelho de filtragem.
– A cada seis meses as velas devem ser trocadas. Após esse período, elas podem acabar perdendo capacidade de filtragem ou até mesmo contaminar a água.

Deixe seu comentário