Emocionada, Marta mostra a foto do dia de seu casamento e o vestido que foi usado pela filha Luisa

36 anos depois. A celebração contou com dois padres e a condução dos noivos até o local da festa foi a cavalo

Uma cerimônia cheia de significados marcou a união dos jovens Luisa Kranz, de 21 anos, e Ariel Fabrício da Silva Reidel, 28. Luísa realizou seu sonho, de se casar com Ariel, e o da dona Marta Silvani Kranz, a mãe dela, que há anos esperava ver uma de suas duas filhas entrar na igreja com o vestido que guardou por 36 anos. O que também chamou a atenção dos convidados foi o fato

Alegria e emoção pela realização do sonho eram contagiantes no dia do enlace de Luisa e Ariel

de dois padres celebrarem a união dos noivos. E depois da cerimônia, mais uma surpresa, o casal dispensou os automóveis e optou por ir para a festa a cavalo.

A união civil ocorreu na quinta-feira, 14. Mas certamente o rito religioso foi o mais esperado pela família e amigos do casal. Na noite do sábado, 16, a Igreja Santo Alberto Magno, da localidade de Alfama, interior de Montenegro, abriu suas portas para o tão aguardado momento. A emoção tomou conta de todos, mas em especial da mãe da noiva.

O sonho de Marta começou ao ver o vestido da mãe dela. “A mãe deu o vestido dela para nós brincarmos e eu sempre pensei que ela poderia ter deixado ele para eu casar. O vestido da minha mãe era lindo”, conta. Quando chegou a vez dela casar não abriu mão de ter um modelo sob medida. “Eu queria um vestido de noiva que fosse meu, pra guardar para um dia minha filha usar. Meu vestido foi feito pela mesma senhora que fez o da minha mãe”, relata.
Luisa comenta que chegou a cogitar a possibilidade de usar um outro vestido, mas não teve como negar o pedido da mãe. “No começou eu queria alugar, mas minha mãe disse que o sonho dela era ver uma das filhas casando com o vestido dela, então decidi que iria casar”.

O CASAL indo para a festa do casamento na propriedade da família, em Alfama. foto: arquivo pessoal da noiva

Foi preciso fazer pequenos ajustes na peça, Luísa quis acrescentar um pouco de brilho ao modelo, mas nada que alterasse a originalidade do traje. A grinalda e o buquê também foram os mesmos usados no casamento de Marta. Para Ariel restou a gravata usada pelo sogro, seu José Gilberto Kranz.

Uma cerimônia duplamente abençoada
Após quatro anos de namoro, em 2018 Luisa e Ariel decidiram que no ano seguinte iriam casar. Na hora de acertar os detalhes, ambos não hesitaram na escolha dos sacerdotes que celebrariam a união. Os padres Eduardo e Gustavo Haas são irmãos e primos do pai da Luisa. A família fez questão que ambos realizassem a celebração do enlace matrimonial.

No sábado, lá estiveram eles lado a lado enchendo de bênçãos o jovem casal. Esse foi o primeiro casamento que ambos atuaram juntos. “No casamento de nossos irmãos, o Gustavo já era padre, mas eu não. Agora estamos juntos por se tratar de uma prima nossa que está casando”, comenta Eduardo. “Viemos co

Os padres Gustavo e Eduardo Haas, que celebraram a união, são irmãos e primos de segundo grau da noiva

m muita alegria participar desse momento da família”, enfatizou Gustavo. “É muito bom ver pessoas que ainda acreditam no amor, na fidelidade e querem assumir um compromisso. Isso é muito importante e um bom testemunho para todos nós”, concluiu padre Gustavo.

Casal manteve a tradição
Uma das primeiras paixões da vida de Luísa foram os cavalos. Ainda muito pequena, a garota aprendeu a cavalgar e laçar. Ela cresceu e manteve esse costume. Quando conheceu Ariel, Luisa ensinou a ele tudo que havia aprendido sobre as provas de laço e ambos passaram a praticar o esporte juntos. As afinidades do casal levaram ambos a optar por uma forma de locomoção diferente no dia do casamento.

Do lado de fora da igreja, nada de carro enfeitado. Dois cavalos levaram o novo casal para comemorar a união na festa organizada na casa deles, a pouco mais de um quilômetro da igreja.

Deixe seu comentário