Dona Vera Lucia, que entrou na fila às 23h de sexta, foi uma das primeiras pessoas a ser vacinada neste sábado

Centenas de montenegrinos se deslocaram ao Parque Centenário deste o início da noite dessa sexta-feira, 14, para receber a segunda dose da vacina CoronaVac/Butantan na manhã deste sábado, 15. Mesmo com a temperatura congelante registrada na madrugada (aproximadamente 7°C), muitas pessoas passaram a noite na fila para garantir a imunização contra a Covid-19. A fila de carros começou a ser formadas por volta das 17h de ontem e alcançou o Centro de Registro de Veículos Automotores (CRVA), na rua Flores da Cunha, na manhã deste sábado. Os primeiros pedestres chegaram às 22h.

Montenegro recebeu do Estado nessa sexta 830 doses de CoronaVac para a segunda aplicação. Desse total, a Secretaria Municipal de Saúde disponibilizou 790 para pessoas que receberam a primeira dose até 2 de abril. As outras 40 doses serão destinadas para profissionais da saúde e pessoas acamadas. Se sobrarem vacinas neste sábado, a imunização continuará neste domingo, também com distribuição de senha, no Parque Centenário, das 8h às 12h, para pessoas que receberam a primeira dose até 3 de abril.

A Secretaria de Saúde iniciou a distribuição das fichas às 6h e, até o início da vacinação, às 8h, aproximadamente 370 senhas haviam sido distribuídas. Ou seja, ainda restava mais da metade disponível. Um dos primeiros idosos a chegar na fila a pé na sexta-feira à noite foi o seu Otemar da Silva Moraes, de 70 anos.

Ele chegou ao Parque Centenário às 23h e recebeu a senha número 8 no início desta manhã. “É a terceira vez que venho. No início da semana vim às 5h e não tinha mais vacinas. Agora vim à noite, trouxe um chimarrão e fiquei conversando com o pessoal. Estava muito frio, mas a espera valeu a pena. A gente fica muito mais tranquilo com a segunda dose”, celebra.

Em contrapartida, seu Dinarte Vieira Lopes, 67 anos, chegou ao Parque no início da manhã deste sábado, entrou no final da fila e reclamou da organização. “Estou vindo pela terceira vez pra fazer a segunda dose, não posso deixar minha esposa e minha sogra muito tempo sozinhas. Nas outras vezes que vim, não consegui senha. É bem complicado. O sistema tinha que ser mais organizado”, comenta.

Dona Vera Lucia Souza Martins, de 68 anos, passou a noite na fila para não correr o risco de ficar sem receber a segunda dose neste sábado. Ela rebebeu a senha de número 6. “Foi uma noite congelante, mas ainda bem que conseguimos pegar a ficha para tomar a vacina. O problema, além de estar frio na rua e o idoso ter de ficar nessa cerração, é que não tem um banheiro para a gente usar. Isso é o fim da picada. Cheguei às 23h na fila”, declara.

Ereneu F. da Silva e Eunice da Silva também chegaram cedo – e a pé – para garantir os primeiros lugares na fila. Seu Ereneu recebeu a ficha 2, e a esposa ficou com a ficha 4. “É difícil passar a noite aqui, sem um banheiro, nesse frio, mas temos que dar graças a Deus que conseguimos as senhas. Já tinha vindo essa semana e não havia conseguido”, salienta Ereneu.

Eliane da Silva levou seu pai às 10h30min ao Parque Centenário e não encontrou dificuldades para conseguir senha. Seu Oroni Otávio da Silva, 68 anos, recebeu a ficha 424. Com pouco mais de uma hora para a vacinação ser encerrada neste sábado, ainda restam mais de 350 senhas disponíveis. “A secretária está no portão distribuindo as senhas, as pessoas não precisam vir tão cedo e se desesperar”, relata Eliane.

Deixe seu comentário