Versão testada, que traz todos os opcionais disponíveis, custa R$ 64.290,00 na Betiolo Fiat Montenegro

A convite da Betiolo, o Ibiá Motores testou o Cronos, novo sedan da Fiat, na versão Drive 1.3 manual, que custa R$ 64.290,00 com todos os opcionais incluídos. A mesma configuração tem preço inicial de R$ 55.590,00 e abrange diversos equipamentos de série, como central multimídia e direção elétrica, por exemplo.

Parece o Audi A4: linhas traseiras trazem sofisticação com a ajuda das lanternas em LED. Foto: Fiat/Divulgação

Ao longo de 200 quilômetros de rodagem rodoviária e urbana, o consumo médio — conforme o computador de bordo — ficou em 13,2 quilômetros por litro, sem carga nem passageiros. A avaliação geral é de que a Fiat acertou a mão nesse projeto, que deve brigar com valentia junto ao Prisma, HB20S, Virtus, Honda City e demais concorrentes fortes do segmento.

Recém-emplacado, o modelo tem no design vincado seu principal atributo. Em trânsito, ele demonstrou desempenho honesto para um motor aspirado de 1.300 cilindradas. Com o carro vazio e em rodovia plana, as acelerações permitiram respostas adequadas no sentido de não deixar o condutor em dúvida em manobras, isto é, cruzar a via, arrancar em cruzamentos e ultrapassar veículos mais lentos. As retomadas, por sua vez, não empolgam, o que exige mais atenção do condutor neste tipo de manobra.

A diferença do motor Firefly 1.3 em relação ao propulsor 1.8, que o Ibiá Motores experimentou no Argo, em fevereiro, é bastante significativa. Apenas o motor E.torQ é capaz de passar alguma esportividade, como sugere a propaganda da Fiat. Ao transitar com rotações mais altas, o ruído foi percebido dentro da cabine, mas não chega a incomodar a ponto de, por exemplo, ser necessário os ocupantes elevarem bastante o tom de voz para conversar.

A Fiat merece elogios pelo acerto na suspensão, uma característica também presente no Argo. A carroceria tem rigidez torcional adequada, o que se percebe principalmente em curvas ou trechos esburacados. O carro transmite firmeza sem ser duro. Nas ruas de calçamento de pedra irregular do bairro Santo Antônio, em Montenegro, se viu como os amortecedores e as molas absorvem bem as irregularidades do piso sob péssimas condições.

Espaço interno atende bem quatro adultos

Interior peca pelo excesso de plásticos, mas é bem desenhado e traz traços modernos. Foto: Fiat/Divulgação

No Cronos, o espaço interno, inclusive para passageiros do banco traseiro, é bom, assim como o porta-malas, que tem capacidade para 525 litros, porém não traz nenhuma luz interna, lamentavelmente. Apesar do excesso de plástico, o acabamento atinge as expectativas e não fica para trás em relação ao HB20S e Prisma. Como o túnel central é mais baixo, o desconforto para um eventual terceiro passageiro no banco traseiro, é bem menor.

Por dentro, o destaque é a central multimídia flutuante, com alta qualidade de imagem, mas a posição dela — “flutuante” nas palavras da Fiat — não é uma unanimidade. O sistema permite conexão com o celular, inclusive pelos sistemas CarPlay e Android Auto, os quais acessam Waze e WhatsApp, entre outros aplicativos.

As rodas de 15 polegadas de liga leve harmonizam com o excelente design do Cronos e contribuem para a dirigibilidade, que é muito boa e somente não foi melhor porque esta versão não tem controle de estabilidade e tração. Mesmo em condição de chuva e em curvas de velocidade o veículo transmitiu ótima sensação de controle e, consequentemente, segurança.

O câmbio é macio e de fáceis engates. Elétrica e leve, a direção torna uma barbada as manobras de estacionamento e, em velocidades mais elevadas na estrada, ganha um pouco de peso para acompanhar melhor a trajetória da via. Contudo, sua empunhadura mais grossa e sem revestimento em couro ajuda a cansar as mãos em deslocamentos mais longos. O banco do motorista tem regulagem de altura, o que permite ao condutor encontrar uma posição confortável, mas a maciez do assento poderia ser melhor.

A versão testada tem todos os opcionais, ou seja, faróis de neblina, banco traseiro bipartido, rodas de liga, câmera de ré, sensor de estacionamento, retrovisores elétricos com tilt down (abaixa ao dar ré) e repetidores de seta integrados, vidros elétricos traseiros e alarme.

Equipamentos  de série
Itens que vêm de série na versão Drive manual 1.3: ar-condicionado, direção elétrica, vidros elétricos (dianteiros, porque traseiros são opcionais), trava elétrica, chave com telecomando, rádio com conexões Bluetooth e USB, computador de bordo, volante com comandos de rádio e telefone, display TFT de 3,5 polegadas e alta resolução no painel de instrumentos, pontos ISOFIX, sistema de monitoramento da pressão dos pneus, ajuste de altura do banco do motorista, sinalizador de frenagem de emergência, cintos de segurança de três pontos para todos os ocupantes traseiros, apoio de cabeça central traseiro e volante regulável.

Deixe seu comentário