Ambientes. Hatch da Fiat foi desenhado para ninguém sentir quando sair do asfalto

A proximidade entre a vida no campo e na cidade que caracteriza o Vale do Caí pede soluções inteligentes. E é possível afirmar que o Fiat Argo Trekking é esta resposta para quem circula entre o asfalto e o chão batido. A versão fora de estrada do hatch foi lançada no segundo semestre de 2019, e aos poucos vai conquistando admiradores devido ao seu visual robusto e esportivo. Mas o veículo é muito mais do que design, oferecendo realmente tecnologia, segurança e conforto.

Uma comodidade a bordo que é proporcionada justamente pelo grande diferencial para suas próprias versões, e dos concorrentes: a combinação entre os pneus Pirelli Scorpion e o sistema de suspensão que concede 210 milímetros (mm), ou 21 centímetros, de altura (entre solo e assoalho). “Ele é um hatch mais alto do chão. O mais alto da sua categoria”, descreveu o gerente da concessionária Betiolo Fiat em Montenegro, Michel Azevedo.

Em relação ao Pirelli Scorpion, definiu como um “pneu misto”, que harmoniza a característica de cidade com sulcos na banda de rodagem para fora de estrada. Traz também estrutura mais rígida, por consequência, de menor desgaste e deformação em terrenos acidentados. O gerente observa que o mercado automobilístico tem apresentado carros pequenos como sendo SUV. Já o Argo Trekking é definido como um ‘quase’ off-road, com estilo urbano. “Não é um carro preparado para fazer uma trilha. Mas é um carro que aceita fazer uma trilha”, definiu. O Argo está à disposição para test drive na Betiolo, localizada na ERS-240, em Montenegro. Veja mais no vídeo anexo.

Bonito, robusto e espaçoso
O Argo Trekking é apresentado em duas versões: motorização 1.3 com transmissão manual; e motor 1.8 com transmissão automática. O test drive feito pelo Ibiá na versão 1.3 manual apresentou um veículo muito interessante, especialmente no interior, onde o destaque ficou por conta do conforto. Os solavancos são mínimos, como se estivesse rodando em um asfalto irregular.

Seu espaço interno é muito melhor do que qualquer modelo de entrada no mercado, permitindo ainda porta-malas de 300 litros. Azevedo explicou que este é um dos atributos concedidos pelo entre-eixos de 2.521 mm (2,51 metros). Além de desconhecer pedras e buracos, o motor de 101 cavalos (cv) gasolina e 139 cv Etanol – da versão 1.3 – garante desempenho. A versão 1.8 é equipada com motor 135 cv gasolina e 139 cv Etanol. No painel digital o computador de bordo informa itens como calibragem dos pneus, consumo por km rodado, condições do motor e outros.

Na versão testada pelo Motores, apenas a câmera de ré e as rodas de liga leve aro 15 são opcionais. O restante são itens de série com assinatura da montadora Italiana, incluindo a central multimídia que conecta com o celular e atende com reconhecimento de voz. Destaque para o teto preto, com raque e símbolo do Trekking, em todas as cores.

Deixe seu comentário