Pikachu, Jack Sparrow, Coringa, Harry Potter, Mulher-Gato e diversos outros personagens da cultura pop desfilavam pela EMEF José Pedro Steigleder na manhã de ontem. A iniciativa, que colocou alunos, professores e funcionários na brincadeira, partiu da turma de sexto ano da professora de português Fabiane Ely. Em cima do trabalho feito em aula sobre histórias em quadrinhos, a educadora resolveu trazer o movimento do cosplay para dentro da instituição.
Cosplay é um termo em inglês, formado pela junção das palavras “costume” (fantasia) e “roleplay” (interpretação). Consistindo, principalmente, na interpretação de personagens da cultura pop japonesa, a prática é um hobby de muitos adolescentes e tem crescido bastante nos últimos anos. No Steigleder, a animação com a oportunidade de interpretar personagens queridos foi tanta, que o projeto saiu do sexto ano e acabou virando acontecimento da escola toda no turno da manhã.

Na semana passada, Marcelo Kayser, experiente adepto do cosplay, esteve na instituição para explicar os fundamentos da prática. Ontem ele estava na escola de novo, dessa vez como um dos julgadores no concurso realizado com os alunos. Foram 180 inscritos, cada um com a sua caracterização. Embora só 23 saíram premiados – com prêmios arrecadados pela doação de empresários locais -, todos exibiram com animação as trabalhadas roupagens dos personagens escolhidos, muitas trabalhados nos mínimos detalhes.

Vestida como o Pikachu, a professora Fabiane se alegra com o engajamento dos estudantes. “Eles ficaram eufóricos. Moveram mundos e fundos para conseguir os trajes, inclusive entre eles, nos grupos. Foi muito bom”, coloca. Os outros membros do corpo docente também entraram na brincadeira. Vestidas de Pânico e do esquilo Scrat, da Era do Gelo, duas das profes vendiam as fichas da distribuição de lanches – outra atração do local.

Deixe seu comentário