Kinderhaus era a única creche particular em Brochier. Município conta ainda com uma única creche pública.

Kinderhaus atendia a crianças do berçário e do maternal

Única entidade de ensino infantil privada de Brochier, a Kinderhaus, que atendia a crianças em nível de berçário e maternal, encerrou suas atividades após cinco anos de funcionamento. Como a Escola Municipal de Ensino Infantil Sapatinho de Cristal já não supre a demanda existente, os pais que mantinham seus filhos na unidade mostram preocupação.

O analista financeiro Roger Iochims, 40 anos, conta que ele e sua mulher, que trabalha como enfermeira, optaram pela Kinderhaus em razão do horário de funcionamento da creche, que atendia num horário além da Sapatinho de Cristal. “Nossos horários não batem com os da creche municipal. Somos de Santa Cruz do Sul e não temos familiares na cidade. Onde vou deixar o Artur nesse período?”, questiona. O filho deles tem dois anos e sete meses.

Quem também está preocupada com o assunto é Marili Closs Musskopf, 34 anos. A professora optou por inscrever seu filho de dois anos na Kinderhaus por entender que ela oferecia atividades e um serviço de qualidade e atenção às crianças que a frenquentam, além da flexibilidade de horários. “Se matriculamos nossos filhos nela (a creche particular) é porque confiamos e acreditamos que a Educação Infantil é uma etapa extremamente importante na vida das crianças”, destaca.

Preocupado com o fechamento da creche particular, que atendia a cinco crianças nos seus últimos dias de funcionamento, o vereador Marco Rasche (MDB) buscou, junto com o colega Sérgio Roberto Sacksen (MDB), sensibilizar o Executivo para auxiliar a entidade. A ideia do edil era de que a Prefeitura ajudasse no pagamento do aluguel do espaço ou através da compra de vagas. No entanto, ele não recebeu retorno do prefeito e da sua equipe.

“Montenegro e Teutônia compram vagas em creches particulares. São Sebastião do Caí está procurando pessoas que queiram abrir creches particulares”, conta o vereador, que fez um levantamento para averiguar a situação em cidades próximas.

O Ibiá questionou o Executivo brochiense sobre a possibilidade de auxiliar a Kinderhaus a manter suas atividades e qual o impacto que o seu fechamento causaria na fila de espera por vagas na EMEI Sapatinho de Cristal, mas não obteve resposta. O proprietário da Kinderhaus também foi procurado, mas preferiu não se manifestar.

Deixe seu comentário