Foto: reprodução Facebook

A família de Vinícios Renato dos Santos Roza, 17 anos, encontrado morto em Triunfo, na manhã dessa terça-feira,12, pede ajuda para conseguir pagar as despesas com o funeral do jovem. O corpo do garoto ainda não foi liberado pelo Instituto Geral de Perícias (IGP), mas seus familiares já estão se organizando para providenciar o sepultamento.

A despesa está calculada em R$3 mil. Através de uma “vakinha” na internet, foi arrecadado R$ 130,00, mas ainda falta muito.”Queremos dar um enterro digno a ele, pois a família é muito humilde e não tem condições de enterrá-lo dignamente.Se alguém puder contribuir com qualquer quantia ajudaria muito!”, diz o texto da campanha. “A gente aceita qualquer valor, o que tocar no coração da pessoa em doar”, acrescenta Adriana Macena, mãe de Vinícius.

Quem preferir pode realizar doação de forma presencial. O telefone de contato de Adriana é o 51 9 8030-9137. A arrecadação segue até que o valor seja atingido. A vakinha pode ser acessada pelo link: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/enterro-digno-a-vinicius-dos-santos-roza-17-anos

ATUALIZAÇÃO

A família de Vinícius dos Santos da Roza recebeu uma importante notícia nessa quarta-feira, 13. O dindo do rapaz, que é proprietário de uma funerária em Estância Velha, se prontificou a cuidar de todo o translado do corpo. Além disso, a empresa providenciará o enterro do garoto junto a um tio, que está sepultado no Cemitério de Novo Hamburgo.

Ainda não há previsão de quando o corpo será liberado, mas para que seja trazido de Porto Alegre para ser velado em Montenegro, e posteriormente levado para Novo Hamburgo, o caixão terá de ser lacrado. Este serviço caberá à família pagar, portanto, a “vakinha” on-line ainda precisa de colaborações. A meta da família é arrecadar além deste valor, para custear despesas extras, com medicação e outras necessidades básicas, já que o grupo familiar passa por dificuldades financeiras.

Uma outra alternativa para a família seria contar com a assistência prestada pela Administração Municipal, na qual há um convênio com a Funerária Vargas para atender gratuitamente pessoas que não têm condições de arcar com o valor de um funeral. O pai de Vinícius chegou a procurar pela ajuda, mas acabou optando pela oferta do padrinho de seu filho.

 

Deixe seu comentário