Expulsos do Bar conquistou o título ao superar o rival Ellite na decisão

De volta ao topo. Tradicional equipe não deu chances para o rival no último domingo

Com grande atuação coletiva, o Expulsos do Bar/HP Engenharia voltou a levantar a taça do Campeonato de Futebol Sete do Grêmio Gaúcho. Na tarde do último domingo, 20, a tradicional equipe do clube dominou o Ellite desde o primeiro minuto e derrotou o rival por 5 a 3. Wesley Garcia, Tiago Schlingvein (duas vezes), Jonathan Vargas e Ericles Ferreira, o Poio, marcaram os gols do título do Expulsos do Bar.

As duas equipes se garantiram para a decisão no sábado, em duelos bem distintos. O Ellite venceu uma verdadeira batalha contra o JDN/Ferrari Fast Food, pelo placar de 4 a 3, em um dos melhores jogos do campeonato. Já o Expulsos goleou o Os Restos/Camisaria Cornélios por 5 a 0.

Poio e Tiago Maratá foram os destaques da vitória do Expulsos do Bar

Na grande final, a equipe campeã começou o jogo com tudo. Logo no primeiro minuto, Renilto da Silva cobrou lateral na área e encontrou Wesley na segunda trave. O atacante cabeceou no canto esquerdo de Magno Mello e abriu o placar. A resposta do Ellite veio aos três minutos. Após corta-luz de Arthur Orth, o ala Felipe Quevedo teve liberdade para avançar e bater cruzado. Bem posicionado, o goleiro Murilo Hernandes espalmou.

Depois do susto, o Expulsos apostou na velocidade do seu setor jovem ofensivo, mas parou no goleiro Mag e na falta de pontaria. O jogo esquentou, as equipes trocaram provocações e o Ellite terminou a etapa inicial com três atletas advertidos com cartão amarelo. Em um tempo técnico, os atletas mais experientes do banco do Expulsos pediram para os titulares não perderem a cabeça.

Aos 15 minutos, William de Mello, o Limão, fez boa jogada pela esquerda e chutou cruzado. O atacante Júlio César da Motta chegou atrasado e não conseguiu completar para o gol. No minuto seguinte, Poio fez grande jogada e bateu rasteiro. Mag desviou com a ponta dos dedos e evitou o segundo gol. No escanteio, Renilto cobrou na cabeça de Poio, que mandou na trave.

Aos 20, Poio tabelou com Tiago Schlingvein, o Maratá, e bateu de primeira, em um belo chute. A bola passou rente à trave. Aos 23 da primeira etapa, Limão cruzou pela direita e encontrou Pedro Almeida, que cabeceou para fora.

O segundo tempo começou da mesma forma que o primeiro. Logo aos dois minutos, Poio fez ótima jogada pela esquerda e cruzou de letra. Tiago Maratá apareceu livre e completou de cabeça para o gol. Aos oito, depois de boa triangulação, Poio tocou por cobertura e a bola foi no travessão. No rebote, Jonathan Vargas, o Docy, emendou uma linda bicicleta e aumentou a vantagem do Expulsos do Bar.

O Ellite esboçou uma reação no minuto seguinte. Logo após a saída de bola, Luan Fritzen bateu no canto, ela desviou na trave e entrou. Aos 18, Pedro recebeu na direita e arriscou no canto, mas parou em Murilo. Um minuto depois, uma infelicidade de Magnus de Paula, o capitão do Ellite, praticamente selou a vitória do Expulsos. O jogador cobrou uma falta no campo defensivo para o meio da própria área e acabou dando uma assistência para Tiago Maratá, que não perdoou e marcou o quarto gol da equipe.

Aos 22, Maratá deu ótima assistência para Poio, que avançou livre e chutou no alto, sem chances para Mag, anotando o quinto do Expulsos. A dois minutos do fim, o Ellite teve pênalti após falta em Limão. Na cobrança, Felipe Quevedo descontou. Aos 24 minutos, o Expulsos cometeu mais uma falta e, como já havia excedido o limite de infrações, o Ellite teve nova penalidade. Felipe Quevedo bateu bem e converteu, dando números finais ao jogo e ao campeonato.

Autor de dois gols na decisão, Tiago Maratá destaca que a mescla de atletas jovens com os mais experientes conduziu o Expulsos ao título. “Fizemos uma fusão de juventude com experiência, que culminou com essa grande vitória. Só temos a agradecer a esses meninos que estão surgindo, que fizeram um grande campeonato. Já estou há 14 anos no Expulsos do Bar, é meu último ano de força livre. Estou atuando com jogadores que foram meus alunos, e que agora estão jogando do meu lado. É um prazer ser campeão com essa galera tão boa”, celebrou.

Um dos melhores em campo no último domingo, Poio também ressaltou a união do grupo após o título. “Primeiramente, quero agradecer a Deus por ser essa grande vitória que conseguimos. É meu primeiro ano com o Expulsos, quero agradecer muito aos meus colegas de equipe e a todos que me apoiaram e me tiraram lá de baixo e me levantaram lá em cima. Só tenho a agradecer. Muito feliz pelo gol, pelos passes, pela vitória… Estou sem palavras”, declarou.

Trans Brothers goleia e fatura a Recopa
Antes da grande final, Trans Brothers e Tricolor duelaram pela decisão da Recopa. Com um grande primeiro tempo, o Trans Brothers não deu chances ao adversário e conquistou o título. Arlei abriu o placar antes dos 10 minutos, Alan Azeredo, o Zulu, fez dois – sendo um golaço – e o time foi para o intervalo com três gols de vantagem. No segundo tempo, Marcelo de Almeida fez mais um e confirmou a vitória por 4 a 0.

Trans Brothers fez 4 a 0 no Tricolor na decisão

A equipe administrou o placar e sofreu poucos sustos durante os 50 minutos da partida. Depois de iniciar a competição muito bem, o Trans Brothers perdeu fôlego na reta final da fase classificatória e não se garantiu na etapa decisiva. Apesar disso, mostrou recuperação e coroou a campanha com um grande desempenho no último domingo.

O público, que inicialmente seria impedido de ingressar no clube para acompanhar às fases decisivas, em virtude das medidas restritivas contra o novo coronavírus, foi liberado e pôde assistir aos jogos. Com as arquibancadas lotadas, os jogos tiveram mais emoção, é claro, mas também houve muito mais risco à saúde da população. Todos passaram por medição de temperatura na entrada, mas quase ninguém estava usando máscara e respeitando o distanciamento na parte interna do Grêmio Gaúcho.

Deixe seu comentário