Em julho de 2017, as exportações do agronegócio gaúcho totalizaram US$ 1,0 bilhão. Em termos absolutos, a redução nas exportações foi de US$ 265,4 milhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (14), no portal da Fundação de Economia e Estatística (FEE).

Comparativamente ao mesmo mês do ano anterior, ocorreram quedas no valor e no volume e elevação nos preços médios praticados (4,0%).  Os cinco principais setores exportadores do agronegócio em julho de 2017 foram complexo soja, carnes , fumo e seus produtos, produtos florestais  e couros e peleteria.

Comparativamente a julho de 2016, a queda no valor exportado foi condicionada, sobretudo, pela soja, produtos florestais e máquinas e implementos agrícolas. Segundo o economista Sérgio Leusin Jr. (FEE), “a queda nas exportações do complexo soja resulta da redução nos embarques do grão e, ainda que em menor grau, da queda nos preços médios (-14,2%)”. No mês de julho, foi embarcado 1,5 milhão de toneladas de soja em grão, volume 21,0% menor que o comercializado em 2016.

Na contramão da tendência geral, o setor que apresentou maior elevação no valor exportado foi o de carnes, com acréscimo de US$ 12,0 milhões (alta de 7,8% em valor e 7,3% em volume). Desde a deflagração da Operação Carne Fraca essa foi a primeira variação mensal positiva nas vendas externas em relação ao ano anterior. O crescimento das exportações de carnes se deve principalmente às vendas de carne suína (8,9% em volume e 30% em valor), tendo a Rússia como principal destino. O segundo maior crescimento nas exportações do agronegócio se verificou no setor de animais vivos e resulta do expressivo número de bovinos embarcados para a Turquia.

Os principais destinos das exportações do agronegócio gaúcho foram China (49,5%), União Europeia (12,0%), Estados Unidos (3,7%), Rússia (3,3%) e Taiwan (2,9%). Esses destinos concentraram 71,4% do valor das vendas externas em julho.

Deixe seu comentário