Chácara do MAC recebeu provas de 19 categorias diferentes durante o domingo

Velocidade. Vindos de diversas cidades, centenas de participantes aceleraram no barro em Costa da Serra

O Montenegro Automóvel Clube (MAC) recebeu no domingo, dia 1º de julho, a 4ª Etapa do Campeonato Pirelli de Veloterra. Durante todo o dia, 168 pilotos aceleram no barro da pista localizada em Costa da Serra em disputas por 19 categorias diferentes. Além deles, centenas de visitantes passaram pela Chácara do MAC, que aos poucos volta a receber provas.

Promotor do evento, André Tramontini da Costa diz que a prova em Montenegro tende a nivelar o campeonato. “Nem todo mundo sabe andar na areia. A pista aqui é diferente”, garantiu. André salientou ainda as melhorias pelas quais o local que recebeu a prova passou. “Está bem organizado (o espaço). Tem a capacidade de virar um centro de treinamento”, observou.

Piloto montenegrino, Alex Alarcon, 24 anos, diz que é bom voltar a correr “em casa”. “É melhor porque conhecemos a pista e também podemos mostrar o nosso trabalho para quem nos patrocina”, destacou. Até o meio da tarde, quando conversou com a reportagem, ele havia ficado em primeiro lugar nas categorias 400 Nacional e 230 Pro. Alex ainda disputaria a prova da categoria Força Livre.

Apresentado à pista do MAC através de Alex, Fabrício Ewerling, o Guga, veio de São Leopoldo para competir nas categorias Novatos e VX3. “A pista é boa, uma das melhores que temos na região. Pena que deu muita chuva nos dias antes da prova”, comentou. Quando concedeu entrevista, ele havia corrido apenas pela categoria VX3. “Acabei em sexto na prova após ter uma queda”, afirmou.

Guga e Alex Alarcon foram alguns dos pilotos a correrem na pista do MAC

Na plateia, a animação também era grande. O casal Maurício Ricardo da Silva, 27 anos, e Savana Botelho, 33, foram acompanhar a performance de alguns amigos que correm. “As provas estão peleadas”, observou Maurício, que é entusiasta do veloterra. Para Savana, a tarde serviu para quebrar paradigmas. “Achei o máximo, principalmente a prova das crianças (50 cilindradas). Acabou com a ideia que eu tinha de que era um esporte perigoso”, contou.

Savana e Maurício acompanharam o desempenho de amigos nas provas

Desde meados do primeiro trimestre de 2018, a nova diretoria do MAC planeja voltar a transformar o clube numa referência na região. “Queremos fazer quatro provas citadinas ainda esse ano”, garantiu Vagner Maffacioli, o Mafinha. Ele faz parte da diretoria que batalha para reestruturar a entidade. “Já realizamos melhorias na pista e na estrutura da Chácara. Aos poucos vamos melhorando”, disse. Mafinha salientou ainda que Montenegro possui muitos adeptos do veloterra e do motocross.

A organização da etapa não havia divulgado os resultados das provas até o fechamento desta edição.

Acompanhados de perto pelos pais, crianças também participaram da etapa

Deixe seu comentário