O ato terá início em frente a UERGS e segue com uma caminhada até a Praça Rui Barbosa. foto divulgação

Atividade ocorrerá em frente ao campus da Uergs e reunirá também políticos

Movimentos sociais de Montenegro realizam hojer um ato em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a favor da democracia. Com o apoio do Partido dos Trabalhadores (PT), entidades sindicais e estudantis, o objetivo da atividade é protestar contra a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a condenação do líder petista. O evento é às 18h30min, em frente à Universidade Estadual do RS (Uergs).

Na noite do último sábado, 7, após permanecer dois dias na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, na grande São Paulo, o ex-presidente se entregou à Polícia Federal (PF), obedecendo a mandado de prisão expedido pelo juiz da Lava Jato, Sérgio Moro. Acusado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, o líder petista foi condenado em segunda instância no caso do triplex em Guarujá (SP), no dia 24 de janeiro de 2018. Na ocasião, a 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), com sede em Porto Alegre, aumentou a pena para 12 anos e um mês de condenação, com início em regime fechado.

Na tentativa de evitar a execução da ordem, a defesa de Lula entrou com um pedido de habeas corpus preventivo no STF, porém, na quarta-feira, 4, o pedido foi rejeitado pelos ministros por 6 votos a 5. Os advogados queriam que a pena só fosse cumprida após o trânsito em julgado do processo, ou seja, depois de esgotar todas as possibilidades de recurso nos tribunais superiores, o que foi rejeitado.

Na quinta-feira, 5, depois de receber um ofício do TRF-4, Moro determinou a prisão do ex-presidente, mergulhando o país em um verdadeiro antagonismo político. De um lado, uma parcela da sociedade satisfeita com a atuação do Judiciário; no outro, apoiadores do líder petista inconformados com que acreditam ser parte de uma perseguição política de setores conservadores. É o que afirma Ezequiel Souza, um dos organizadores do “Ato em defesa da democracia”, que também é militante do PT.

“A ordem de colocar o Lula atrás das grades é a continuidade do golpe, conforme prometeu Romero Jucá (PMDB) em 2016, após anunciar a estratégia que derrubou a presidenta Dilma Rousseff (PT) para estancar as investigações. Agora um acordo nacional com o STF quer impedir o PT de disputar as eleições de 2018”, explica Souza, “Trata-se de um ataque aos direitos constitucionais, uma formação de quadrilha instalada no poder, que é responsável pela prisão do Lula sem reunir as provas necessárias. É um escândalo que, infelizmente, coloca o país mais uma vez nos noticiários internacionais, comprometendo a credibilidade do Judiciário brasileiro”.

Resistência nas ruas
Para a professora e militante do PT, Sílvia Maria de Moraes Menezes, a condenação do ex- presidente Lula ultrapassa as barreiras do antagonismo político no Brasil. Trata-se de uma questão de direitos básicos, negados por um Judiciário controverso.

“A democracia está correndo risco, não é mais uma questão de ‘esquerda’ ou ‘direita’ e a população precisar perceber as sérias consequências que isso pode ter”, salienta. “A mesma Justiça que condenou o Lula sem provas é a que libertou o Aécio Neves (PSDB), mesmo com uma prova real de um helicóptero cheio de drogas”.

O militante do PT Ezequiel Souza, destaca a necessidade de a população fazer resistência nas ruas. “A historia há de absolver Lula e o PT tem um compromisso com a esperança dos brasileiros de ter uma vida digna”, conclui.

Eleições 2018
Mesmo diante da decisão de Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a prisão do Lula, o PT mantém a intenção de registrá-lo como candidato à Presidência na Justiça Eleitoral, já que a legislação permite que isso aconteça. Porém, há possibilidades do TSE barrar a candidatura do ex-presidente com base na Lei da Ficha Limpa, que torna condenados em segunda instância inelegíveis.

Para o presidente do Partido dos Trabalhadores de Montenegro, Ricardo Agádio Kraemer, o país atravessa um momento conturbado da história.
“Sem condições de enfrentar um processo eleitoral, a elite conservadora que parasita e corrompe o Brasil durante séculos, encontra-se em desespero, com muito ódio e preconceito, retomando o poder num golpe com aparências de legalidade, atropelando, inclusive, a Constituição”, lamenta Kraemer.

O militante do PT Ezequiel Souza, diz que Lula representa um projeto político de esquerda, por isso, a prisão do líder petista compromete as estruturas da democracia. “É uma tentativa de impedir a vitoria desse projeto nas eleições, o mesmo responsável por tirar o país do mapa da fome, o que também reconheceu direitos aos trabalhadores e trabalhadoras, entre tantos outros avanços no campo social”, ressalta Souza.

Ezequiel, um dos organizadores, destaca a necessidade de resistir. Foto: arquivo pessoal
Compartilhar

Deixe seu comentário