Giovana fez o Enem para usar a nota como porta de entrada na faculdade de Educação Física

Esse domingo, 24 de janeiro, foi o segundo dia de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, ainda de 2020. As provas foram adiadas em razão da pandemia do novo coronavírus e, mesmo agora, o Ministério da Educação precisou contestar uma série de ações judiciais contrárias para garantir a sua realização.

Em Montenegro, assim como no primeiro dia, no domingo anterior, a movimentação dos estudantes foi tranquila nas escolas onde ocorreu a aplicação. Os estudantes foram colocados em salas com número reduzido de pessoas para respeitar o distanciamento. Tiveram álcool gel para a higienização de suas mãos e ficaram, durante todo o tempo, com máscaras.

“É incômodo, é quente e atrapalha um pouco da respiração, mas faz parte”, reconhece a estudante Giovana Herzer, de 18 anos de idade. Os participantes puderam levar máscaras extras para fazerem a troca durante a prova.

Em seu primeiro Enem da vida, Giovana realizou o teste na Escola Estadual A. J. Renner, no bairro Rui Barbosa. A montenegrina conta que fez o exame com o propósito de ingressar no curso de Educação Física da Faculdade La Salle. “Eu sempre gostei de jogar, de fazer exercício; e eu sou uma pessoa que quero muito fazer uma coisa que me tira da zona de conforto”, destaca.

Para a estudante, a prova da semana anterior, na área de linguagem e ciências humanas foi mais fácil do que essa, que testou conhecimentos em matemática e ciências da natureza. “Eu acho que na semana passada foi mais fácil por trazer mais questões de interpretação. A matemática foi mais difícil” confidencia.

A estudante Tainá Scherer, de 17 anos, também viu dificuldades. Para ela, o último ano sem aulas presenciais atrapalhou um pouco o aprendizado e o acesso aos conteúdos. Mas ela ainda não tem tantas pretensões com o resultado desta edição. “Fiz mais para ver com é que é”, explica. Os portões das escolas abriram às 11h30 do domingo, dando um tempo extra, para evitar aglomerações, até o início do teste, às 13h30. A aplicação terminou às 18h30.

Enem também dos pais

A preocupação e a expectativas em relação ao exame nacional que, para muitos, é porta de entrada no Ensino Superior, não ficam só com os estudantes que se disponibilizaram a enfrentar as 90 questões do teste aplicado no domingo. Elas também são divididas com os pais que torcem e acompanhem o seus – já não tão – pequenos para fazer a prova. É o caso do frentista Edimilson Francisco Moraes, de 56 anos, que, nos dois domingos, trouxe o filho de Triunfo para fazer o Enem em Montenegro.

Paizão Edimilson passou a tarde esperando o filho e cheio de expectativas

“Ele ta aguardando os pontos. Tem a ideia de fazer Engenharia Ambiental”, contou, cheio de expectativa enquanto aguardava o jovem Eduardo em seu carro, em frente à Escola Municipal José Pedro Steigleder, no bairro Santa Rita. Pra conter a ansiedade e passar o tempo da realização da prova, o pai fez de tudo um pouco. “Dei uma volta, também fui no mercado gastar um pouco”, lembrou. Nos últimos minutos, já estava aguardando pelo filho escutando o GreNal. “Assim passa rápido!”

O gabarito oficial das provas desse domingo deve sair até quarta-feira, dia 27. Candidatos que foram diagnosticados com a Covid-19 ou apresentaram sintomas da doença foram orientados a não fazer o exame. Nessa semana, então, eles devem informar a situação na página do participante, dentro do portal do Enem na internet, para solicitar a reaplicação. Essa etapa já está marcada para os dias 23 e 24 de fevereiro. Além disso, também haverá a aplicação de uma versão digital do Enem, de forma piloto, para 96 mil candidatos brasileiros, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Deixe seu comentário