Municipal enfrenta o Novo Horizonte em duas categorias neste domingo

Futuro. Negueba e Ryan estão disputando um campeonato oficial pela primeira vez

Um dos clubes mais tradicionais de Montenegro e berço de grandes talentos do futebol local, o Grêmio Esportivo Municipal voltou ao cenário estadual no segundo semestre deste ano. Comandado pelo treinador Alex Gonçalves, o Leleco, a equipe ingressou no Gauchão Sulicampe com três categorias: Sub-15, Sub-17 e Sub-20.

Ryan Pereira da Costa atua pelas três categorias do Municipal no Gauchão Sulicampe

Como os times foram montados há poucos meses e vários meninos estão disputando um campeonato pela primeira vez, o início tem sido complicado, mas é um projeto a longo prazo e os resultados não devem ser prioridade neste momento. O mais importante é a evolução dos atletas e o trabalho em equipe, aspectos que vêm sendo observados por Leleco a cada treinamento.

O volante Eduardo Ferreira da Silva, mais conhecido como Negueba pelos companheiros, é um dos estreantes em competições oficiais. Nascido em 2002, o jovem atleta inicia sua caminhada no futebol com o sonho de ajudar sua família e o clube. “Meu principal sonho é chegar ao profissional, para ajudar minha família e contribuir com o Municipal, que abriu as portas para mim no futebol”, ressalta.

Eduardo Ferreira da Silva, o Negueba, tem o sonho de se tornar profissional para ajudar a família e o G.E. Municipal

Negueba chegou em Montenegro no ano de 2011. Inicialmente, treinou na Tanac pelo Fera. Após o término das atividades com a categoria 2002, o volante foi convidado por um amigo para treinar no Municipal e aceitou de prontidão. “Quando cheguei (em 2018), eram poucos meninos, aí chamei mais alguns. Vi esse grupo crescendo, vi a instituição crescer também. Há dois anos, praticamente não tínhamos bola para treinar. Eram duas bem precárias e uma usada só para jogo”, relembra o atleta.

Negueba e Ryan disputam, pela primeira vez na vida, um campeonato oficial de futebol

Volante de contenção, Negueba tem como característica principal o passe – tanto curto, como longo. Ele afirma que prefere jogar com a bola no pé, mas não se arrisca a subir muito ao ataque para não ouvir o treinador esbravejar na beirada do campo. “O Leleco fica louco se eu subo muito para o ataque. Então, fico mais atrás, na marcação. E para nós, ver o Leleco feliz é fundamental. É preciso valorizar esse trabalho dele, de acreditar na gurizada. Montenegro tem muito talento, não dá para desperdiçar”, enfatiza.

Outro estreante em competições oficiais é o atacante Ryan Pereira da Costa, de 15 anos. Inspirado em Neymar, o jovem nascido em 2005 atua pelo Municipal nas três categorias que o clube disputa o Gauchão Sulicampe e já balançou as redes em duas delas (um gol na Sub-15 e outro na Sub-17). Com o sonho de jogar profissionalmente pelo Inter, ele sabe que precisa trabalhar muito “Para chegar lá, só treinando e me dedicando ao máximo, fazendo gols nos jogos e me destacando”, salienta.

Ryan começou a treinar no Municipal em 2019, após convite do treinador Leleco. Tendo o drible como característica principal, o tímido atleta inicia sua trajetória no futebol buscando passar por todos os adversários e todas as adversidades com humildade e dedicação.

Mesmo sem recursos, projeto avança
Depois de reabrir o G.E. Municipal e iniciar uma reestruturação no clube há dois anos, Leleco sentia a necessidade de colocar a escola de futebol no cenário estadual novamente. Atingiu o objetivo no segundo semestre deste ano, inscrevendo a garotada no Gauchão Sulicampe. Muitos meninos atuam em duas categorias. Alguns, como Ryan, jogam nas três. O grupo é considerado curto, mas a entrada em uma competição oficial é um pontapé de partida para a retomada das grandes conquistas.

Leleco destaca os avanços do projeto neste ano e traça metas para 2021

No elenco da categoria Sub-20, apenas dois meninos estão no limite da idade (nascidos em 2000). Grande parte do plantel tem menos de 18 anos. Apesar disso, Leleco garantiu a participação da garotada no Gauchão Sulicampe. “Nós precisávamos participar de alguma competição. Batalhamos esse ano, colocamos o projeto Finta de Craque no Comcrad (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) e agora a população pode ajudar”, ressalta.

Além dos avanços dentro das quatro linhas, Leleco também destaca as melhorias realizadas na sede do clube durante o ano. “Mesmo sem recursos, tivemos avanços. Arrumamos o banheiro do vestiário, demos uma organizada na sede, conseguimos equipamentos e colocamos a gurizada para jogar, para competir”, enaltece.

Para o próximo ano, o principal desejo do treinador é que o clube seja novamente um projeto totalmente social. “Se Deus quiser, vou conseguir fazer com que o Municipal volte a ser 100% um projeto social. A ideia é que tenhamos atividades para quem não gosta de futebol, como percussão.

Quero abrir a sede para a realização de cursos, fazer o clube ser útil para a sociedade”, completa.
Quando o Municipal não joga aos finais de semana, os treinos ocorrem nas segundas, quartas e sextas, às 8h30min e às 14h. Quando a equipe atua aos sábados, o treino de sexta-feira é antecipado para quinta, e quando o time joga no domingo, o treino de segunda-feira é transferido para terça, nos mesmos horários.

Deixe seu comentário