Foto:Voluntersul/ divulgação

A Secretaria de Saúde do Estado confirmou no final da tarde dessa quinta-feira, 15, que os 437 bombeiros voluntários gaúchos, de 20 municípios, que ainda não haviam sido vacinados contra a Covid-19 serão incluídos na vacinação das forças de segurança a partir da próxima semana. A informação foi divulgada durante a reunião virtual da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) da pasta, que abrange representantes das secretarias municipais de Saúde. Outros 850 bombeiros voluntários, de 30 municípios, já haviam sido imunizados durante a etapa de vacinação nas equipes de saúde

A decisão da CIB atende a pedidos feitos em março pela Associação dos Bombeiros Voluntários do Rio Grande do Sul (Voluntersul) à Secretaria de Saúde e, na última semana,pela Frente Parlamentar em Defesa dos Bombeiros Voluntários da Assembleia Legislativa (liderada pelo deputado Elton Weber) via Casa Civil do Estado. E esclarece ruídos de interpretação em dois momentos da campanha de vacinação.

APHs

O primeiro ruído envolveu prefeituras sobre o entendimento a respeito dos grupos prioritários para imunização. Segundo o presidente da Voluntersul, Anderson Jociel da Rosa, apesar de 30 municípios terem vacinado seus bombeiros voluntários junto com as equipes de saúde, em outras 19 cidades atendidas por corporações voluntárias, o entendimento das secretarias municipais de Saúde era de que poderiam ser imunizados somente os motoristas de ambulância e técnicos em enfermagem. O que, segundo a Voluntersul, deixava as corporações em risco.

“Além de casos de incêndio e resgates, todas as corporações de bombeiros voluntários do Estado atuam também casos de acidentes de trânsito ou doméstico e outros tipos de atendimentos pré-hospitalares (APHs). Especialmente em municípios que não contam com o Samu”, destaca o presidente. Anderson explica que, nesses casos, o pessoal que atua em incêndios ou acidentes de trânsito é praticamente o mesmo. Tanto que, das 28.414 ocorrências atendidas em 2020 pelas corporações voluntárias, 18.137 (cerca de 64%) foram de APHs.

SEGURANÇA

O segundo ruído foi a partir da interpretação da Nota Técnica 297/21, publicada no último dia 31 pelo Ministério da Saúde, que estabeleceu a etapa de vacinação dos trabalhadores das forças de segurança e salvamento e das forças armadas. “No Rio Grande do Sul, o entendimento inicial – principalmente entre parte das prefeituras – foi de que, no caso dos bombeiros, a vacinação seria apenas para as unidades vinculadas ao Corpo de Bombeiros Militar do Estado”, explica o presidente da Voluntersul. “Nesse sentido, foi importante o reconhecimento, pela CIB, da expressão ‘bombeiros voluntários’ e a relação das unidades ainda a descoberto na agenda gaúcha”, completa o dirigente.

Na próxima semana serão incluídos na vacinação os bombeiros voluntários das seguintes cidades:

Barracão

Butiá e Minas do Leão (quartel único)

Cacique Doble

Candelária

Eldorado do Sul

Faxinal do Soturno

Imigrante e Colinas (quartel único)

Jaquirana

Nova Hartz

Paraíso do Sul

Parque Eldorado

Sananduva

São Sebastião do Caí

Sobradinho

São João da Urtiga

Tapes

Teutônia

Tupanciretã

Saiba mais 

O Rio Grande do Sul tem cerca de 50 unidades de bombeiros voluntários atuando  nos serviços de incêndios, resgates, atendimentos pré-hospitalares e desastres naturais. Segundo a Voluntersul, dos quase 28,5 mil atendimentos realizados em 2020 pelas unidades voluntárias, mais de 18 mil foram casos clínicos ou acidentes atendidos com ambulâncias.

Por conta disso, dois terços dos quase 1,3 mil bombeiros voluntários do Estado haviam sido imunizados na etapa que abrangeu as equipes de saúde. O terço restante entra agora na leva de vacinas para os agentes de saúde. O que encerra o debate em torno de dúvidas das prefeituras sobre as equipes de ambulâncias das unidades.

Bombeiros voluntários existem no Brasil desde 1892 (século 19) e o serviço está presente há quase 50 anos no RS.

 

Texto: Voluntersul

Deixe seu comentário