Levantamento da Polícia Rodoviária Estadual aponta circulação de 2 mil veículos por hora ao longo da rodovia. FOTOS: ARQUIVO/JORNAL IBIÁ

MELHORIAS dependem da privatização da rodovia, que segue indefinida

Se você é morador dos bairros Santo Antônio ou Panorama ou, por qualquer outro motivo, perde momentos preciosos do seu dia na difícil e perigosa tarefa de cruzar a RSC-287, acostume-se. A solução do problema vai demorar. O projeto de construção das rótulas para facilitar a travessia segue parado junto ao governo do Estado, à espera de uma definição sobre a privatização desta e de outras rodovias. Na melhor das hipóteses, os editais devem ser lançados em maio ou junho do ano que vem.

O vereador Joel Kerber (Progressistas), que desde 2017 vem acompanhando o assunto e pressionando o Estado a tomar alguma providência, fez contato com a Secretaria de Governança e Gestão para saber como está o processo. A resposta não é muito animadora. A RSC-287 será privatizada e a empresa que ficar com o trecho que corta Montenegro deverá executar as obras, orçadas em quase R$ 20 milhões. O projeto das melhorias foi elaborado pela Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) e o Município entrou com R$ 200 mil.

Em janeiro deste ano, o governador Eduardo Leite anunciou a contratação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para fazer os estudos de viabilidade financeira para a entrega de cerca de mil quilômetros de estradas à iniciativa privada e preparar a modelagem do negócio. Esse trabalho ainda está sendo realizado e deve ser repassado ao Palácio Piratini até o final de ano. Em setembro, os técnicos vão iniciar as medições de fluxo na estrada que corta Montenegro. “Infelizmente, agora não há muito a fazer. É preciso esperar o BNDES concluir seu trabalho”, lamenta Joel.

O secretário municipal de Gestão e Planejamento, Ronaldo Buss, explica que a Administração Municipal vem fazendo pressão política na busca por soluções. Inclusive, ele e o prefeito Kadu estiveram na chefia da Casa Civil e na Secretaria de Governança e Gestão no começo do ano e foram informados sobre a contratação do BNDES. “O município precisa dessas obras com urgência e vamos cobrar”, assegura, destacando que a elaboração do projeto, pela EGR, é fruto desse trabalho.

Pelos cerca de 7,6 quilômetros da RSC-287 que vão do entroncamento com a BR-470 (Posto Shell) até o cruzamento com a ERS-411 (Frigonal) circulam, em média, 2.200 veículos por hora. O levantamento foi realizado pelo grupamento rodoviário da Brigada Militar.

Nos últimos anos, diversos protestos foram realizados, em virtude dos acidentes e das mortes registrados durante a travessia da estrada

Audiências públicas
De acordo com Rafael Ramos, da Secretaria Estadual de Governança e Gestão, a RSC-287 faz parte de um conjunto de 25 estradas cuja manutenção e conservação será repassada à iniciativa privada, mediante a instalação de pedágios. Entre elas, também as RSs 122 e 240, que igualmente passam pela região. Ainda não está decidido se o trecho urbano da 287 vai pertencer a um pólo rodoviário sediado em Santa Cruz do Sul ou a outro, com base em Caxias do Sul.

Essa definição faz parte do trabalho realizado pelo BNDES, que também apontará os pontos onde haverá pedágios e o valor das tarifas. A previsão é de que esta etapa seja concluída no fim do ano, abrindo espaço à elaboração dos editais, que devem ser lançados ainda no primeiro semestre de 2021.

Ramos explica que, antes de bater o martelo, o governo do Estado pretende ouvir as comunidades atingidas pela mudança, por meio de audiências e consultas públicas. Enquanto isso não ocorre, cabe à EGR fazer a manutenção da RSC-287 no perímetro urbano de Montenegro, especialmente a sinalização e o fechamento de buracos.

Saiba mais
– O projeto da EGR para o trecho urbano da RSC-287 traz o impedimento de cruzar as pistas, limitando a passagem a um conjunto de oito rótulas e trevos; além de ruas laterais para o fluxo local.

– A reestruturação terá intervenções no trecho de 7km e 110m de extensão, entre o trevo da BR-470 (Posto Shell) até a ERS-411, estrada que acessa a localidade de Costa da Serra.

– Os destaques ficam a cargo do sistema de “disciplinamento” do trânsito, que consiste na colocação de blocos de concreto no eixo central entre as pistas. Ele servirá para impedir o cruzamento de veículos em qualquer lugar, inclusive para acesso aos bairros. Sua implantação virá acompanhada da revitalização do viaduto no bairro Centenário (ponte seca) que, como retorno, permitirá a entrada no bairro Panorama.

– Novidade ainda nas rótulas do bairro Senai, acesso pela rua Juvenal Alves de Oliveira; e no entroncamento com a ERS-124. E como há muito era esperado, surgirão rótulas no acesso ao Centro e Santo Antônio pela rua Ramiro Barcelos (posto Ipiranga) e rua Coronel Antônio Inácio (Renauto/ Rodoviária).

– O investimento previsto é de R$ 20 milhões e a intenção era que as obras fossem bancadas pelo governo do Estado, que chegou a assumir esse compromisso no governo Sartori, mas não fez a execução.

– Como o governador Eduardo Leite decidiu incluir a estrada na lista de privatizações, o projeto será inserido no edital de licitação. Assim, a empresa que vencer a concorrência para a manutenção da rodovia mediante a cobrança de pedágio deverá executar as melhorias.

– O edital deve ser publicado até junho de 2021.

Deixe seu comentário