Capacidade permitida de alunos e respeito ao distanciamento no São José

Rede Estadual deve voltar em 13 de outubro. Universidades seguem com atividades remotas

Com manutenção da bandeira laranja no Distanciamento Controlado, na próxima segunda-feira, dia 28, está previsto o retorno das aulas presenciais para cursos de ensino superior, técnico, profissionalizante e médio em Montenegro. A decisão segue Decreto Municipal nº 8.157/2020 e leva em conta os indicadores da saúde do município, o calendário proposto no decreto nº 55.240/2020 do Estado e a premissa de “capacidade de autocuidado dos alunos”, dada pelo Governo Estadual.

Diretora Maria Helena Schüler Luft explica que campanha de conscientização e enfrentamento à Covid-19 foi criada na escola para o período de volta às aulas

O Instituto de Educação São José já está preparado para receber suas três turmas do Ensino Médio. A escola segue o Plano de Contingência estruturado pelo Centro de Operação de Emergência em Saúde para a Educação (COE-E) e uma série de protocolos e orientações para a prevenção e enfrentamento à Covid-19. Distanciamento social, medidas sanitárias e de fiscalização e monitoramento da doença farão parte da rotina de estudantes e funcionários da instituição.

E a nova realidade já inclui classes distanciadas com demarcação, álcool em gel e tapete sanitizante na entrada de cada sala e rota de acesso diferente para cada turma. Paredes também estão sem cartazes, janelas sem cortinas e os brinquedos com superfícies de higienização difícil, como os maiores, recolhidos.

De acordo com a diretora Maria Helena Schüler Luft, esta semana foi toda reservada ao treinamento dos funcionários da limpeza e de monitoramento, reunião com os professores, alunos e COE-E local. “O horário de início das aulas será às 8h. Porém, haverá dois momentos diferentes para entrada das turmas: 7h40min e 7h50min, assim como de saída: 11h20min e 11h30min. Nós também optamos por reduzir os períodos de aula de 6 para 4, e a cantina não abrirá, portanto os lanches serão feitos dentro da sala”, ressalta.

Alguns estudantes, segundo a diretora, possivelmente não retornarão às atividades nesse primeiro momento, mas não há prejuízo dos conteúdos: a aula será transmitida em tempo real pelo professor. “Nossos corredores estão todos sinalizados e as rotas de acesso possuem cores diferentes para cada turma. Temos a vantagem de um espaço amplo, o que possibilita passagens diferentes para que os jovens não se cruzem”, aponta.

A direção do São José também idealizou uma campanha de conscientização através de cartazes afixados nas paredes da instituição. “Para conscientizar e lembrar sobre a importância da higienização adequada e frequente das mãos, celulares e para que seja mantido o distanciamento pelos jovens. Além do que eles já receberam kit com álcool e máscaras”, explica.
Outras medidas adotadas são não ligar ares-condicionados, manter locais arejados e uso de banheiros diferentes, em cada andar, para cada turma. “Seis monitores, dois em cada corredor, inspecionarão a temperatura dos jovens com termômetro infravermelho e planilha de registro, o que também ocorre em cada entrada”, explica.

As tardes serão reservadas à higienização total dos ambientes da escola, processo que também acontece a cada 1h30min nos banheiros e a cada 2h em superfícies tocadas frequentemente, no turno de aula.

“Os teclados dos computadores foram todos plastificados para facilitar a limpeza. Espaços como a biblioteca não estarão abertos, com acesso apenas remoto. Não tiramos nenhuma disciplina da grade curricular, mas adaptamos os conteúdos de forma que o ensino aconteça de forma híbrida; presencial e a distância. Estamos preparados, com toda a segurança necessária, para recebermos nossos alunos”, termina.

Sinodal Progresso está de braços abertos para receber alunos
O colégio Sinodal progresso também está com tudo pronto para receber alunos, professores e funcionários. As três turmas do Ensino Médio, além dos seis técnicos retornam às atividades na quarta-feira, dia 30. O diretor Lório José Schrammel esclarece que alunos concluintes dos técnicos, aproximadamente 112, estão em processo de retorno desde o dia 16 de setembro, com atividades práticas. Os outros 230 voltam na data estipulada. “No nível médio, em pesquisa que fizemos, o apontamento foi de 50% de alunos para a volta, o que totaliza 50. Os que permanecerem em casa terão acesso às aulas em tempo real. Investimos em estrutura tecnológica, com câmeras de alta resolução e microfone nas salas que serão utilizadas. Isso possibilita que os estudantes interajam com o professor”, diz.

O diretor Lório José Schrammel recebe alunos de braços abertos na próxima quarta-feira, dia 30

O diretor também demonstra a preocupação com a questão emocional dos alunos. “Após tanto tempo de afastamento do convívio escolar e social, oferecemos aqui no Sinodal suporte psicopedagógico, psicológico e com orientadora educacional. Acreditamos que para os técnicos essa adaptação será mais fácil, já que a maioria manteve trabalho durante esses 190 dias”, declara.
Para recepcionar a todos com segurança, em um momento principalmente de cuidado, de acordo com Lório, ainda haverá álcool em gel disponível nos corredores, na entrada de todas as salas, além de tapete sanitizante. “E nos três acessos ao colégio haverá alunos da enfermagem fazendo aferição de temperatura e preenchendo planilha com registro de cada estudante. Isso nos possibilita um histórico. Além disso, em qualquer caso de febre ou sintoma ao chegar, encaminharemos à sala de acolhimento.

Haverá uma pessoa para esse primeiro acompanhamento, a família deverá ser contatada e em caso de necessidade, orientada a procura da Secretaria de Saúde”, diz o diretor.
Os jovens também recebem duas máscaras no primeiro dia e têm rota de deslocamento devidamente sinalizada e 10 minutos de diferença para entrada de cada grupo no colégio. “Assim como o recreio será escalonado”, fala.

Com higienização constante nos espaços, haverá dois banheiros disponíveis para os jovens, com um funcionário de plantão para a limpeza posterior. “Apenas três alunos por vez podem ter acesso”, explica. As catracas de entrada estão isoladas e inutilizáveis, seguindo os protocolos, exigências e normas criadas por comitê interno, em consonância ao decreto do Estado e município.

Desde o primeiro anúncio de liberação pelo Governo Estadual, a coordenação tem se preparado. “Mês a mês nos reinventamos, ampliando o atendimento e nos adaptando às necessidades. Nessa retomada, compreendemos a liberdade de escolha dos pais. Mas nosso comitê interno, composto pela equipe diretiva, representantes do Ministério Público, da enfermagem, vigilância sanitária, pai e médicos foi bem rigoroso nas normativas”, tranquiliza.

Entre as medidas sanitárias, catracas foram interditadas e plastificadas no Colégio Sinodal Progresso

Além desse olhar abrangente composto por diversos profissionais, Lório parabeniza o COE-E Municipal pela agilidade dos processos. “Tivemos, tão logo, o suporte para entrega dos regimentos e aprovação. A Secretaria de Educação e da Saúde têm feito um excelente trabalho, com empenho”, conclui.

Escolas estaduais não retornam agora
A previsão de retomada de estudos presenciais no Estado, anunciada pelo governador Eduardo Leite é apenas em 13 de outubro. As condições sanitárias precisam, contudo, estar favoráveis. A projeção leva em conta a rede Estadual de Ensino Médio.
O colégio Estadual Dr. Paulo Ribeiro Campos possivelmente nem iniciará as aulas em 2020. O maior problema enfrentado é a falta de luz em mais da metade da escola, já que fios da rede elétrica foram furtados da instituição, o maior prejuízo, em agosto. “Em conversa com a coordenadora da 2ª CRE, ela me disse que o Estado está com dificuldades financeiras e que provavelmente o dinheiro para a reforma, orçada em R$ 64 mil, não vem em 2020”, desabafa o diretor Luís Carlos Borba Hummes.

Após furto na rede elétrica e prejuízo de R$64 mil, Polivalente possivelmente não retoma aulas presenciais em 2020

Segundo ele, a tentativa da CRE é que o recurso possa ser disponibilizado pela Secretaria de Educação. “Há outras escolas que sofreram danos durante a pandemia, então está complicada a liberação dessas verbas estaduais. Sabemos que o prefeito já decretou o retorno às atividades para médio e técnico, mas possivelmente as atividades permanecerão de remotas aqui, infelizmente”, pontua.

As atividades na Escola Estadual Técnica São João Batista não iniciam ainda, mas os preparos estão em andamento. De acordo com a supervisora do colégio, Viviane Morandini, máscaras já foram providenciadas pela direção.
“Mas alguns materiais exigidos pela vigilância, como hipoclorito, luvas, toalhas de papéis, aventais ainda estão chegando. Mas temos carência em questão de funcionários para a limpeza, pois precisamos seguir os protocolos de segurança da forma adequada e exigida”, desabafa.

Segundo ela, não há pessoas suficientes para a função na escola. “A coordenadoria disse que vão providenciar pessoal, mas não há previsão de retorno”, completa.

O São João Batista possui aproximadamente 900 alunos. Os estudantes e docentes receberam internet do Governo e tem acompanhado o ensino remoto nos seis meses de afastamento. “Em caso de retorno, haverá escalonamento de horários, além de ensino híbrido, já que não há obrigatoriedade de retorno em alguns casos. A higienização sanitizante, aquela completa, será feita um dia antes do início, quando acontecerem”, conclui.

Universidades mantêm aulas remotas até o fim do ano
A unidade montenegrina da Uergs, de acordo com resolução interna, manterá o ensino à distância. O documento declara que enquanto durar o Estado de Calamidade pública no Rio Grande do Sul, as atividades conservam-se com teletrabalhos e aulas remotas. O calendário acadêmico, com semestre ativo e aulas virtuais (2020/2) segue de 14 de setembro até 30 de janeiro de 2021.

A Unisc irá divulgar na segunda-feira, dia 28, um posicionamento sobre as aulas presenciais.
Na Universidade do Vale do Taquari (Univates), com pólo ead em Montenegro, a dinâmica das aulas não altera: o ensino segue a proposta virtualizada. Porém, no campus em que as aulas acontecem de forma presencial, a decisão da reitoria foi de manter as atividades suspensas até o final do ano.

As práticas já têm acontecido presencialmente desde o início do semestre, com respeito ao protocolo de acesso e permanência no espaço. Entre as medidas adotadas, a redução dos grupos de estudantes durante as realizações, uso obrigatório de máscaras e aferição de temperatura corporal.

Também é preciso respeitar as normas de distanciamento e manter os cuidados gerais nos ambientes compartilhados.
Já a Fundarte anunciou na quarta-feira, 23, que não retornará às aulas presenciais neste ano. Os atendimentos e aulas seguem acontecendo a distância. Em comunicado aos pais e alunos, a instituição explicou que a decisão foi tomada baseada em pareceres e pronunciamentos veiculados por autoridades da área da saúde e demais pesquisadores. “Dessa forma, conscientes da responsabilidade que temos com a saúde e bem-estar de nossos alunos e professores, a equipe diretiva resolveu que no segundo semestre de 2020 não retornaremos às aulas presenciais”, reafirma o comunicado.

Deixe seu comentário