Exportadora destaca que a negociação do prédio já pronto foi um dos atrativos que a trouxe ao município

Recém instalada no prédio da antiga Madeireira Montenegrina, Madeze deve investir R$ 1,5 milhão em Montenegro

Primeiramente anunciada para ir para Brochier, foi em Montenegro que se instalou a exportadora de madeiras Madeze. As operações já começaram, no prédio da antiga Madeireira Montenegrina, às margens da RSC-287. Até o final do ano, a empresa pretende investir cerca de R$ 1,5 milhão no município. Ela já gerou 12 empregos diretos, em sua maioria moradores da região.

Como a Madeze não possuiu floresta própria, ela vai contar com a produção de madeiras da região. “Nós vamos comprar dos produtores locais, de Montenegro, Brochier e Salvador do Sul”, destaca o executivo Jorge Fernando Farias. Vendendo para países como os Estados Unidos, Canadá, México, China, Vietnã e Alemanha, a empresa, agora, está investindo no incentivo ao controle de qualidade dos produtores. Algumas palestras já ocorreram com este fim.

“Estamos tentando sensibilizar eles a produzir florestas certificadas. Isso triplica o preço da madeira e torna o mercado muito mais atrativo, principalmente na Europa, que exige bastante da madeira certificada”, explica Farias. Seguindo as regras do FSC (sigla, em inglês, para Conselho de Manejo Florestal), o preço do metro cúbico da madeira aplainada pode passar de US$ 350,00 para US$ 600,00.

Da Madeze, as madeiras revendidas já saem serradas e podem ser beneficiadas com cortes ou algumas marcas específicas. Dentre as principais espécies trabalhadas está o eucalipto, o pinus taeda e o pinus elliottii. “Nós estamos querendo chegar, neste ano, a um volume de comercialização de 1500 metros cúbicos por mês”, indica o executivo.

Farias ressalta que a proximidade com Porto Alegre e a negociação do espaço da antiga madeireira foram os principais atrativos para a instalação em Montenegro.

A Madeze nasceu no município de Soledade e, após ter sido adquirida por um novo empresário, se verificou a necessidade de ela se instalar em um local mais central. Aqui fica a única unidade do empreendimento, mas já se estudam outras, no Paraná e em Santa Catarina.

Jorge Farias, executivo da Madeze. FOTO: MADEZE/DIVULGAÇÃO

Novo equipamento irá intensificar os negócios
A Madeze está para inaugurar uma estufa para secar madeiras, que deve ser posta em funcionamento ainda nesta semana. De acordo com o executivo Jorge Fernando Farias, há, no Estado, uma carência em relação a espaços do tipo. “O mercado da madeira é gigante. O problema é que aqui no Rio Grande do Sul, em relação ao Paraná e a Santa Catarina, a gente está anos luz atrasado”, revela.

A nova estufa teve o custo de R$ 700 mil. Ela tem 21 metros de comprimento, cinco metros de largura e quatro metros e meio de altura para secar até mil metros cúbicos de madeira por mês. Sem o equipamento, elas precisariam passar cerca de um ano e meio no pátio, secando. Com ele, o processo dura uma semana. “É bastante madeira”, comemora Farias.

Nova estufa tem 21 metros de comprimento e poderá secar até 3 mil metros de madeira por mês. Investimento foi de R$ 700 mil. FOTO: MADEZE/DIVULGAÇÃO

Deixe seu comentário