Foto: Reprodução internet

Oportunidades sazonais de trabalho beneficiam tanto os comerciantes quanto os desempregados

Final de ano é sinônimo de aumento da movimentação na cidade. As festas de Natal e Ano Novo e também a liberação da segunda parcela do 13° salário levam a população a sair mais de casa e investir em presentes para as pessoas queridas e também buscar por refeições especiais para as festas de fim de ano. Por isso as empresas que precisam de um bom reforço de funcionários para suportar a demanda de clientes usam a força de trabalho temporária. São vagas de emprego com duração de até 270 dias, com possibilidade ou não de efetivação. A chance de conseguir um emprego temporário anima os quase 13 milhões de desempregados brasileiros e pode ser o alívio para os desempregados da região.

O Sine Montenegro não registra nenhuma vaga temporária disponível até agora. Mas a movimentação deve aumentar nas próximas semanas. “O comércio é o setor que mais abre vagas temporárias no final de ano. Já estamos informando aos empresários e órgãos voltados ao comércio e serviços a disponibilidade da agência para a divulgação e intermediação das vagas. Mas, por enquanto, o movimento está baixo, tanto por parte do empresário quanto por parte do trabalhador.”, afirma Arnaldo Klein Pegoraro, coordenador da agência na cidade.

Para Karl Heinz Kindel, presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Montenegro/Pareci Novo (ACI), alguns fatores fazem com que as vendas deste ano na cidade sejam mais tímidas, entre 2 a 5%. “Temos uma expectativa de vendas até o fim do ano, mas existem muitas variáveis no meio disso, como a crise econômica que ainda se sustenta, as compras pela internet que aumentaram, e também o fato de estarmos perto de centros com grande atrativo comercial, como Novo Hamburgo e São Leopoldo. Isso faz com as pessoas migrem as compras de fim de ano para essas cidades.”

Já para o presidente da CDL, Paulo Vitor Menezes Ingracio, a pequena recuperação econômica e os índices de confiança dos empresários do comércio apresentaram avanços em relação ao ano passado. “Tendo em vista a liberação de recursos do FGTS e o recebimento do 13º salário, a expectativa é que ocorra uma melhora do cenário econômico.” Sobre a disponibilidade de vagas temporárias, Ingracio afirma que a adaptação ao momento econômico atual e a necessidade de reduzir o quadro de funcionários durante o ano deve trazer novas vagas ao comércio montenegrino. “Este ano existe a possibilidade de um aumento de contratações temporárias nas áreas de vendas e atendimento”, acrescenta.

Expectativa alta no Estado
De acordo com a Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem), o Rio Grande do Sul deve gerar 10,9 mil novas vagas provisórias no final do ano, um crescimento de 14% em relação ao ano passado, quando foram abertos 9,6 mil postos. O órgão aposta em pelo menos 570 mil vagas de emprego disponibilizadas nesta época do ano em território nacional.

Em projeção divulgada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC), o Rio Grande do Sul é o quarto estado brasileiro que mais ofertará vagas de emprego de final de ano no setor de varejo no País. São projetadas 7,6 mil oportunidades. Apenas São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro superam o RS em oferta de vagas. Juntos, os quatro estados concentram mais da metade das vagas de emprego temporárias. Ainda de acordo com o CNC, os ramos de vestuário e supermercados serão os setores com maior oferta dessas vagas sazonais, afetados pelas vendas natalinas, que aquecem a economia.

Michelle Karine, presidente da Asserttem, afirma que a contratação temporária é utilizada em vários setores. “É importante ressaltar que existe uma lei federal que autoriza essa modalidade de contrato para qualquer tipo de empresa, em qualquer área de atuação e para todas as qualificações de profissionais. Os empregadores podem utilizar essa ferramenta de gestão de pessoal através de uma agência registrada e autorizada pela Secretaria do Trabalho.”

Prepare-se para a entrevista: dicas para melhorar o currículo
Além da procura pelo emprego, os candidatos também devem se atentar à sua qualificação para as vagas disponíveis. Cibele Gomes Salazar, gestora administrativa de uma fábrica de artigos esportivos, reitera que o emprego temporário é uma grande oportunidade de se mostrar para o mercado de trabalho, mas adverte que nem sempre se está 100% pronto para ele.
A qualificação é importante, mas se estar capacitado para trabalhar é ainda mais. “Muitas vezes o pessoal acredita que tendo o curso técnico ou a graduação está pronto para o mercado de trabalho. Não está. Além de cuidar da parte de qualificação, também é preciso fazer treinamentos e capacitações que desenvolvam a parte comportamental. Ou seja, como se comunicar com as pessoas, se existe empatia, se consegue de fato ser pró-ativo. Muitas vezes a gente admite pela qualificação e acaba demitindo pelo comportamento.” Cibele também dá algumas dicas sobre como incrementar o currículo e ser uma pessoa que atraia as empresas:
Busque a pró-atividade: Na hora da entrevista, falar sobre as ações que de fato você já fez e que representam a sua vontade de trabalhar. Se não tiver experiência profissional, fale de suas experiências no colégio, curso técnico ou curso de graduação.
Boa comunicação: Saber se expressar durante a entrevista mostra que é bom comunicador. Mostre sua essência, quem você é.
Conhecimento sobre a empresa: Saiba como é o seu funcionamento e o que ela preza.

Deixe seu comentário