Foto: Divulgação/IGP

O formato ainda depende do fim da bandeira preta e da melhora dos indicadores da pandemia, mas o Instituto Geral de Perícias (IGP) já tem a data da reinauguração do Posto de Identificação de Montenegro. O setor onde são emitidas as carteiras de identidade reabre na próxima segunda-feira, 8 de março, agora junto à 1ª Delegacia de Polícia Civil, na rua José Luis. O serviço, que antes funcionava junto ao Sine, no Centro, está interrompido desde outubro.

Havendo a flexibilização das atividades – a bandeira atual vale até domingo – a expectativa é de 50 atendimentos por dia, segundo o coordenador do Posto, Josué Luis Kuhn. O atendimento ao público ocorrerá de segunda à quinta-feira, das 8h às 14h, sem fechar ao meio dia, mediante agendamento prévio presencial ou através do e-mail “pi-montenegro@igp.rs.gov.br”. A linha telefônica (3632-8677) ainda não foi instalada. Os horários de sexta-feira são reservados para agentes da segurança pública e detentos da penitenciária.

O IGP informou que, caso o Estado siga em bandeira preta, serão atendidas, por agendamento, apenas as urgências. São casos de cidadãos que precisam da carteira de identidade, por exemplo, para admissão em emprego, cirurgia de emergência, retirada de medicamento controlado, viagem urgente ou financiamento imobiliário. No caso, também haverá revezamento de servidores e horários reduzidos.

Segundo o coordenador local, após a retomada das atividades, será encaminhada a liberação para agendamento do atendimento também através do site do IGP. Ele adianta que estuda adiantar o horário de início do setor para às 7h. “Mas dependo da autorização da diretoria”, pontua. “Penso que seria bom para pessoas que trabalham no Comércio. Assim, poderiam fazer o RG sem perder horário de serviço.”

A troca do Posto de Identificação para o novo endereço deu-se através de tratativas que envolveram a Prefeitura, a Câmara de Vereadores, a Delegacia Regional de Polícia e o Conselho Pró-segurança Pública de Montenegro (Consepro). Com a sala da delegacia cedida, foram feitas adequações – num custo de cerca de R$ 4 mil – custeadas pelo fundo mantido pelo conselho.

Deixe seu comentário