Dezenas de moradores compareceram a reunião no Passo da Amora

Prefeito não fez promessas de datas nem quantidade de quilômetros a serem feitos

Demanda há décadas de moradores, o asfaltamento da estrada do Passo da Amora – que liga Montenegro a Vendinha – mais uma vez entrou em pauta na agenda pública. Na manhã deste sábado, dia 2, Executivo, Legislativo e comunidade se reuniram para debater o assunto no Salão de Passo da Amora. No encontro intermediado pelo vereador Sérgio Souza (PSB), o prefeito de Montenegro, Gustavo Zanatta, garantiu que a obra terá início ainda no seu mandato.

Com cerca de dez quilômetros, a estrada é caminho para centenas de veículos, incluindo muitos caminhões que transitam todos os dias no local. Para os moradores, a poeira e os buracos são uma realidade enfrentada. “Como eu moro na beira da faixa nos dias de pó a gente tem que estar com a casa fechada, parece que nós moramos dentro de um apartamento. Se for deixar a casa aberta o pó toma conta”, conta o morador Nilton Moreira de Vargas.

Segundo ele, é muito difícil morar em um local com esses problemas constantes. “Tem vezes que a faixa fica muito esburacada, principalmente quando chove. […] Isso já vem há tempo, e cada prefeito que entra aí vem prometendo asfaltar. Pra nossa comunidade, pra Triunfo, pra Montenegro e a Vendinha fazer essa ligação seria muito bom”, completa.

Em agosto, uma reunião entre Executivo e Legislativo já havia tratado sobre o assunto, mas de acordo com o vereador Sérgio Souza (PSB) a Administração solicitou uma conversa com a comunidade. “Essa luta não é uma luta de um vereador, é de todos os vereadores e da Administração”, fala.

Moradores reclamam de poeira gerada pelo grande fluxo de caminhões na estrada Foto: Arquivo Jornal Ibiá

O vereador relata que já havia sido feito, em anos anteriores, um cadastro no Ministério da Agricultura para pavimentação daquela área, mas que não houve retorno até o momento. “O Ministério da Agricultura é o caminho mais longo, é um dinheiro federal. Então o prefeito acha que é possível com os recursos da prefeitura, nem que a gente faça em lotes”, declara.

Para o prefeito Gustavo Zanatta, essa demanda de anos da comunidade é vista com bons olhos. “Nós temos muita boa vontade da minha parte como prefeito de querer fazer o trabalho aqui na frente (estrada), eu tenho a certeza que nós vamos fazer alguma coisa”, expõe o prefeito. Na ocasião, o prefeito pediu a colaboração da comunidade e do Legislativo. Uma das possibilidades é obter recursos de emendas parlamentares, assim como o apoio da Câmara, através do repasse de parte do seu orçamento que não for gasta este ano.

Além disso, Zanatta explicou para a comunidade que a Administração também está atuando no sentido de recuperar a usina de asfalto e na compra de maquinário para asfaltamento. Ele considera que utilizando recursos e materiais próprios será possível fazer obras deste tipo com menos da metade do valor cobrado pelas empreiteiras. “Hoje se a gente quiser fazer um quilômetro por uma empresa terceirizada de asfalto quente é R$ 1,4 milhão, se for 10 quilômetros são R$ 14 milhões. […] Eu tendo todo o material que eu estou comprando pela nossa usina de asfalto frio o quilômetro é 400 mil reais a média, então seria R$ 4 milhões”, completa.

Zanatta declara que a Administração está se organizando para fazer a obra pela própria gestão, podendo assim economizar e realizar mais. “Dentro dessa gestão vai ser feito o asfalto, isso eu garanto pra vocês (comunidade). Agora o comprometimento de dizer quanto e quando fazer, qual a metragem que eu vou fazer por ano, ai eu já não posso dar essa certeza. Mas eu me comprometo que vou me dedicar da melhor forma possível, junto com os vereadores, que a gente vai tentar completar tudo”, concluí.

Deixe seu comentário