Bruno Cheron, futebol, Grêmio, jogador, base
Bruno Cheron já esteve em Portugal, na Argentina e no Uruguai com o Grêmio neste ano. Foto: arquivo pessoal Sabrina Cheron

Futebol. Atleta de Montenegro é um dos destaques da sub-13 do Grêmio

Prestes a completar quatro anos na base do Grêmio, o montenegrino Bruno Cheron, 13 anos, está se sentindo cada vez mais em casa no tricolor. De fato, o alojamento gremista tem sido uma espécie de segunda casa para o garoto, principalmente neste ano, quando Bruno passou a treinar no centro de preparação de Eldorado do Sul, e não mais no CT Cristal, em Porto Alegre.

Camisa 10 da categoria sub-13 do Grêmio e uma das maiores promessas de Montenegro, o jovem atleta vem tendo um ano bastante movimentado, cheio de viagens pelo tricolor. No primeiro semestre, em abril, Bruno e seus colegas de time foram a Portugal para representar o Brasil no Mundial Iber Cup. Único time do país no torneio, o tricolor voltou da Europa com o título. Na final, contra o Belenenses, Bruno fez o gol que levou a disputa do título para as penalidades, onde o Grêmio levou a melhor.

O segundo semestre tem sido ainda mais corrido para o meio-campista da cidade. Em agosto, viagem para a Argentina, onde o tricolor disputou um torneio e ficou na quarta colocação. No mês seguinte, Bruno e seus companheiros da sub-13 viajaram para Salto, no Uruguai. Em um campeonato promovido pelo atacante uruguaio Cavani – companheiro de Neymar no Paris Saint-Germain-FRA – e sua mãe, o Grêmio mais uma vez foi o único representante brasileiro e novamente ficou com o título.

O adversário da final foi o Cerro Porteño, do Paraguai. Autor de um gol na competição, o atleta de Montenegro destaca a raça dos estrangeiros. “A principal característica desses times é a vontade. Eles chegam junto. Foi um campeonato muito bem organizado. Recebemos um troféu do Cavani pela mãe dele, além do troféu de campeão”, salienta o jogador, que teve o apoio de perto dos familiares em Salto.

Recentemente, na última semana, Bruno Cheron esteve em São Paulo, onde disputou cinco amistosos pelo tricolor. O saldo foi positivo. O Grêmio venceu dois jogos, contra Ponte Preta e Desportivo Brasil, empatou outros dois, diante de Corinthians e São Caetano, e perdeu uma partida, para o Guarani. Mesmo não tendo marcado gols nesses compromissos, o meia valoriza a experiência. “O jogo é mais rápido, lá é mais correria, mas foi positivo”, comenta.

Feliz com sua evolução nesta temporada, mas sem se acomodar, o garoto revela o principal conselho dado pelos professores no Grêmio. “Está sendo um bom ano, consegui evoluir bastante. Os treinadores pedem para jogarmos coletivamente, sempre, por melhor que seja o atleta”, diz.

Mãe de Bruno, Sabrina Cheron ressalta que o garoto nunca reclamou da rotina movimentada. “Esse ano tem sido bem produtivo, bem puxado mesmo. Ele nem jogou futsal essa temporada. Mas ele gosta da rotina, nem reclama de saudades. No último domingo, ele estava em casa sem nada para fazer, aí foi para um clube jogar bola com alguns amigos”, ressalta.

Deixe seu comentário