Delegado André Roese. Foto: arquivo Jornal Ibiá

SAQUES criminosos do Auxílio Emergencial alavancaram ocorrências

O clichê “desgraça pouca é bobagem” define bem o que foi o ano de 2020 para centenas de moradores da região do Vale do Caí. Não bastasse o medo de conviver com um inimigo invisível – o novo coronavírus -, grande parte da população foi lesada em crimes de estelionato. Em Montenegro, as ocorrências dessa natureza tiveram um salto, passando de 92 em 2019 para 305 no ano passado (crescimento de 231,52% %), conforme dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP/RS). Saques criminosos do Auxílio Emergencial e golpes através da internet potencializaram os números.

Maria da Silva, de 47 anos, moradora do bairro Santo Antônio em Montenegro aparece na lista de cidadãos que não viram a cor do dinheiro repassado pelo governo federal, através do programa Auxílio Emergencial. Desempregada, ela se cadastrou para obter o benefício, mas ao tentar baixar o aplicativo Caixa Tem não conseguiu acesso. Na agência bancária, Maria descobriu que alguém havia “furtado” seus dados, baixado o App e, inclusive, sacado a primeira parcela do abono.

Revoltada com a situação, a dona de casa foi até a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) para denunciar o caso. Na DP, enquanto aguardava para ser atendida, Maria ouviu o relato de um senhor que, assim como ela, foi vítima de criminosos. “Como é que pode isso? É brincadeira. Além de ser pouco, vem alguém e faz uma coisa dessas com a gente”, lastima a vítima.

No período de abril até novembro de 2020, somente em Montenegro, foram registradas 110 ocorrências do golpe do Auxílio Emergencial. Os casos são enviados pela Delegacia de Polícia local para superintendência da Polícia Federal, que instaura investigações desse tipo de crime.

Embora os crimes com o abono concedido pelo governo – para aqueles que passam por dificuldades de sobrevivência – se sobressaiam, outros delitos qualificados como estelionato impulsionaram os resultados contabilizados nos Indicadores Criminais da Secretaria de Segurança Pública.

O PC Alerta pode ser baixado e
consultado a qualquer momento

Golpes na Web também aumentaram
Em um período no qual as pessoas passaram a fazer mais compras pela internet, devido ao isolamento social, cresceu também a quantidade de aproveitadores querendo obter vantagem sobre os consumidores mais desatentos. O delegado titular da 1ª Delegacia de Polícia de Montenegro, André Roese, lembra que muitos golpes já são antigos, mas, ainda assim encontraram abertura para serem consumados no ano que passou.

“As compras pela internet aumentaram muito, então, as pessoas se expuseram mais. O golpe dos nudes já faz certo tempo que é aplicado, mas acabou tendo certo aumento. Boa parte desse aumento de Estelionato se deve ao Auxilio Emergencial e em razão do aumento de compras pela internet”, reitera o delegado.

A autoridade policial orienta a população a não comprar em qualquer site. Busque informações que provem a credibilidade do canal de vendas, e assim não corra o risco de ficar sem o produto pelo qual pagou. “Comprar de sites confiáveis ou pelo aplicativo da loja”, indica o delegado.

Também esteja atento para evitar golpes como o dos nudes e da clonagem de WhatsApp. “É preciso ter consciência da existência e da dinâmica do golpe dos nudes, não mandando eles a desconhecidos. Além disso, não mande de forma alguma o código do WhatsApp”, acrescenta.

No endereço eletrônico https://applink.com.br/pcalerta, a Polícia Civil gaúcha fornece uma cartilha sobre golpes virtuais e como se proteger deles. O material também pode ser conferido diretamente do celular, através do APP PC Alerta.

Crime cresceu em cidades de pequeno porte
Residir em cidades pequenas deixou de ser sinônimo de segurança e tranquilidade. Exemplo disso vem de cinco municípios da região, onde os estelionatos tiveram aumento significativo. Com cerca de 14 mil habitantes, Feliz registrou 58 casos de estelionato em 2020. Foram 42 a mais que em 2019, quando ocorreram 16.

Fotos: reprodução internet

As populações de Tupandi e Vale Real também entraram para a estatística. Por lá, o aumento foi respectivamente de 4 para 15 e de 5 para 12 casos.
Triunfo não fica atrás. Foram 76 registros, frente a 32 no ano anterior, ou seja, 44 vítimas a mais. Já em São Sebastião do Caí o aumento foi de 27 casos, passando de 57 (em 2019) para 84 (em 2020).

Ação combate fraude
A superintendência da Polícia Federal do RS desenvolve ações para intensificar o combate a fraudes no Auxílio Emergencial. Até o dia 1º de outubro – data do último levantamento divulgado pela PF -, haviam sido instaurados 156 inquéritos policiais no Estado. As unidades da Polícia Federal direcionam o foco da atuação no cumprimento de diligências como oitivas de investigados, intimações e instauração de novos procedimentos, principalmente nos casos em que não houve a devolução do benefício após a constatação da irregularidade.

O governo federal disponibiliza endereço eletrônico para devolução da quantia recebida para evitar possíveis transtornos, para aqueles que optarem por restituir os valores. O formulário está disponível no link https://devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br/devolucao.

Deixe seu comentário