Neste domingo, das 8h às 17h, a população escolherá o novo presidente da República e o governador do Estado

A campanha eleitoral de 2018 chega ao fim e o eleitor terá seu derradeiro encontro com as urnas neste domingo. Das 8h às 17h, milhões de gaúchos e de brasileiros vão escolher, entre Eduardo Leite (PSDB) e José Ivo Sartori (MDB), o governador do Estado; e entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), o novo presidente da República. As regras que norteiam a disputa são as mesmas que valeram para o primeiro turno, em 7 de outubro.

Desta vez, o eleitor precisará digitar apenas dois números, o que deve tornar a votação bem mais rápida do que no começo do mês, quando os cargos em disputa eram cinco. Pela ordem, o primeiro voto será para governador. As opções são os números 15 (Sartori) e 45 (Leite). Na sequência, ocorre a escolha para a Presidência. Será preciso digitar 13, para Haddad; ou 17, para Bolsonaro.

A Justiça Eleitoral tem feito uma divulgação intensa a respeito porque, no primeiro turno, pelo menos 115 mil eleitores votaram errado. No campo destinado à escolha do governador, digitaram 17, achando que estavam elegendo o presidente. Ao apertar a tecla “confirma”, acabaram anulando este voto. Alguns demoraram a entender o erro que cometeram e levantaram dúvidas sobre a lisura do processo, denunciando a ocorrência de fraude no pleito.

Durante o primeiro turno, em Montenegro, 11 urnas eletrônicas apresentaram problemas variados e tiveram de ser substituídas. O chefe do Cartório Eleitoral da 31ª Zona, Diego Bonato Coitinho, informa que todas elas sofreram manutenção. Mesmo assim, num primeiro momento, não serão usadas nas mesas receptoras neste domingo. “Optamos por deixá-las na contingência, para substituição caso outro equipamento apresente defeito”, explica.

Um das novidades é que, no segundo turno, não haverá seções específicas para o recebimento das justificativas dos eleitores que não estão nas suas cidades para votar. O procedimento pode ser feito em qualquer mesa receptora.

esclarecendo as dúvidas do eleitor
1. Qual é o dia e o horário da votação no segundo turno?
Domingo, 28 de outubro, das 8h às 17h, nas mesmas seções onde o eleitor votou em 7 de outubro.

2. Qual a ordem de votação dos cargos neste segundo turno?
Primeiro, o eleitor, vota para governador e, depois, para presidente. Caso digite um número que não corresponde a nenhum dos candidatos para os respectivos cargos e confirme, o voto será anulado.
Observação – No Rio Grande do Sul, caso o eleitor digite por engano 13 ou 17 (números dos candidatos para o cargo de presidente), na votação para governador, o voto será nulo. Da mesma forma, se digitar 15 ou 45 (números dos candidatos para o cargo de governador) na escolha de presidente. Ou seja, muita atenção na hora de registrar seu voto. Não tenha pressa. Este é um momento muito importante. Certifique-se de que está digitando o número correspondente ao seu candidato no respectivo cargo. Olhe para a foto que aparece na urna antes de “confirmar”. Ou seja, só aperte o botão “CONFIRMA” após ver a foto do seu candidato.

3. Perdi meu Título de Eleitor. Posso votar?
Sim, você pode votar portando apenas um documento de identificação oficial com foto: Carteira de Identidade, Carteira de Motorista, Carteira de Trabalho, Passaporte, Certificado de Reservista, Carteira de Categoria Profissional reconhecida por lei (OAB, CREA, CRM, CRA), e-Título (via digital do Título de Eleitor, que pode ser baixado e utilizado como documento de identificação para os eleitores que já realizaram o cadastro biométrico e têm a fotografia disponibilizada no aplicativo).

4. Não fiz a biometria. Posso votar mesmo assim?
Depende. Se em seu município a biometria foi obrigatória e você não fez, seu Título foi cancelado e você não poderá votar (casos de Brochier, Maratá, Pareci Novo e São José do Sul). Porém, se em seu município a biometria ainda não é obrigatória, você vota normalmente (Montenegro).

5. Para a Justificativa do Voto, é obrigatório saber o número do Título?
Sim, para justificar o voto, você precisa portar um documento oficial com foto e o número do Título de Eleitor. Por isso, busque esta informação com antecedência no site do Tribunal Superior Eleitoral (http://www.tse.jus.br/eleitor/servicos/titulo-de-eleitor), no Cartório Eleitoral (51 3632 3880 / 51 3632 8568 / zon031@tre-rs.jus.br ou pelo SOS Eleitor (telefone nº 148).

6. Não lembro meu local de votação. Como descubro onde voto?
A relação de locais de votação, com suas respectivas seções e endereços, pode ser acessada no site do TRE-RS, no seguinte link: http://www.tre-rs.jus.br/eleitor/titulo-e-situacao-eleitoral/locais-de-votacao

7. Não votei nem justifiquei no primeiro turno. Posso justificar no segundo?
Deve, pois, para cada pleito não justificado, ocorre a geração de multa. Então, vote normalmente ou justifique no segundo turno e procure o Cartório Eleitoral para regularizar sua situação.
Importante: você só pode justificar se estiver fora do seu domicílio. Caso esteja na sua cidade, você tem de votar na sua seção eleitoral. Se você está na sua cidade, mas longe do seu local de votação e tentar justificar em outra seção, a justificativa não será processada.

8. Quantas vezes eu posso justificar?
Não existe limite de justificativas. Você pode justificar quantas vezes forem necessárias.

9. Se perceber algo anormal no funcionamento da urna, o que devo fazer?
Durante a votação, caso você perceba algo que fuja da normalidade (por exemplo, algum problema de funcionamento na urna), não saia do local. Reporte a situação imediatamente ao presidente da Seção, para que ele possa resolver e registrar na Ata o ocorrido. Ele é a autoridade competente e o representante da Justiça Eleitoral para estas questões. Persistindo a dúvida, a decisão caberá somente ao Juiz Eleitoral.
Importante: não filme ou fotografe a urna. O registro do voto constitui crime punível com detenção de até dois anos (artigo 312 do Código Eleitoral).

10. Não fiz o cadastro biométrico, mas a urna pediu a leitura de minhas digitais. E agora?
A Justiça Eleitoral e o Governo do Estado do Rio Grande do Sul formalizaram convênio que permitiu a importação das impressões digitais dos eleitores gaúchos constantes no cadastro do Instituto Geral de Perícias (IGP). Assim, parte dos eleitores de Montenegro, embora ainda não tenham realizado o cadastro biométrico no Cartório Eleitoral, poderão ser habilitados ao voto através das digitais constantes do cadastro do IGP.

Deixe seu comentário