Eissa Soultan faleceu no dia 1º na BR-153 em Bagé. Junto a ele estavam dois filhos e a segunda esposa, que também acabaram morrendo.

Um acidente na BR-153, em Bagé, vitimou o egípcio Eissa Soultan, de 43 anos. O veículo, que ia em direção à Aceguá, saiu da pista em uma curva e acabou caindo em um barranco, na tarde de segunda-feira, 1º. A família egípcia de Soultan, esposa e dois filhos, também faleceram no desastre. Atualmente Eissa morava em Porto Alegre, mas, em Montenegro, mantinha vínculos com amigos, a primeira esposa, Márcia Garcia, 41 anos, e a filha mais velha, de oito anos.

Márcia ficou sabendo do falecimento do marido por meio de um amigo e relata estar muito abalada com o fato. Ela é a primeira esposa de Eissa, com quem contraiu matrimônio há 13 anos. A tradição muçulmana permite que o homem seja casado com mais de uma mulher.

Ela conta que trabalhava em um restaurante quando conheceu o egípcio. Um mês após o início do relacionamento, ambos casaram. Da união nasceu a primeira filha de Eissa. No dia 22 de dezembro ele esteve na cidade para celebrar o aniversário de oito anos da primogênita.

Geraldo Henke e Patrícia Schingvein, primos de Márcia, relatam que Soultan era uma pessoa solidária e de bom coração. Na festa de aniversário da filha ele acabou antecipando o Natal dos familiares com a distribuição de presentes para os mais próximos. Além disso, com freqüência, se disponibilizava a ajudar financeiramente os parentes, caso houvesse necessidade.

Conforme Márcia, Eissa decidiu trazer os filhos e a segunda esposa, para o Brasil para acompanhar o crescimento das crianças. No ano passado,  ele abriu uma loja de roupas em Porto Alegre, a qual vinha administrando. Antes disso, trabalhou na empresa JBS em Montenegro.

Eissa e a família egípcia, a mulher de 31 anos, e os filhos, de três e de sete anos, serão sepultados e enterrados no cemitério muçulmano de Aceguá, local para onde Eissa ia visitar amigos quando acabou morrendo. Márcia e a filha não tiveram condições de ir ao local para acompanhar a despedida da família.

Deixe seu comentário