Paulo Alexandre Barth (E) disse que ele e seu vice (D) estão tranquilos quanto ao processo instaurado. Foto: Arquivo/Jornal Ibiá

Prefeito se manifesta sobre o processo de impeachment instaurado pela Câmara de Vereadores

O prefeito de Pareci Novo, Paulo Alexandre Barth (PDT), e o vice-prefeito, Fábio Schneider (PDT), receberam com tranquilidade a notícia de que a Câmara de Vereadores local abriu um processo de impeachment contra eles na noite de quinta-feira, dia 17. Quem garante isso, é o próprio chefe do Executivo. Segundo ele, a abertura do processo já era esperada por haver no Legislativo mais vereadores da oposição do que da base do governo.

Alexandre diz que ele e Fábio aguardarão agora os trâmites do processo para organizarem as suas defesas. “É uma pena para Pareci Novo estar passando por uma situação dessas”, lamenta. “Mas vai dar tudo certo. A gente pede que eles (comissão processantes) vão a fundo e investiguem que, no final, vai dar tudo certo”, complementa.

Sobre as denúncias, que foram lidas na sessão da noite de quinta-feira, o prefeito não se mostrou abalado. Alexandre ressalta que as negociações divulgadas em dois áudios que circularam pelo WhatsApp desde de quarta-feira, dia 15, e que estão inclusas na denúncia não possuem nada de ilegal. O Jornal Ibiá ainda não teve acesso ao documento com a íntegra da denúncia.

Num dos áudios citados é tratado o aditivo de contrato para a prestação de serviço de eletricista. De acordo com Alexandre, tratou-se de um aditivo de 25% para um contrato de pouco mais de R$ 1.400,00 por mês e que elevou o contrato para cerca de R$ 1.800,00 mensais. Segundo o prefeito, o contrato anterior para prestação de serviço de eletricista era de R$ 4 mil mensais. Assim, reforça o prefeito, a licitação aberta, mesmo com o aditivo, teria garantido uma redução nos gastos da Prefeitura.

Alexandre afirma que é o mesmo caso do segundo áudio, também descrito na denúncia. Nessa negociação, diz o prefeito, foi tratado sobre o valor do contrato com uma empresa responsável pelo tratamento de água no Município. “Em nenhuma vez alguém veio pedindo dinheiro ou alguma coisa para o empresário. Pelo contrário, é onde eu estou tentando reduzir o contrato dele”, comenta o prefeito.

Sobre os áudios divulgados e inclusos na denúncia, o chefe do Executivo também informou que registrou um Boletim de Ocorrência (BO) por causa da gravação e divulgação deles sem sua anuência. “É crime”, resume.

Procedimento do processo

Sorteado presidente da comissão processante do processo de impeachment do prefeito Paulo Alexandre Barth e do vice-prefeito Fábio Schneider, Fábio Diemer (Progressistas), explicou que o grupo formado por ele, pelo relator Gelci de Mello (Republicanos) e pela vereadora Joice Streit (PDT) iniciará seus trabalhos na próxima terça-feira, dia 21. Eles terão 90 dias a partir da notificação dos acusados para concluir o relatório. Essa notificação, estima Fábio, deve ocorrer na quarta-feira, dia 22.

Processo de impeachment foi instaurado por 5 votos a 3. Foto: Câmara de Vereadores de Pareci Novo

De acordo com o vereador, o grupo ainda irá debater quais pessoas serão chamadas para serem ouvidas durante o processo de impeachment. O presidente da comissão processante reforça querer realizar um trabalho transparente pautado pelo princípio da imparcialidade e garantindo o direito à ampla defesa.

Mudança no secretariado

Na quinta-feira também chamou a atenção em Pareci Novo a saída de Luís Ricardo Cappra (PDT) do cargo de secretário municipal de Cultura e Desporto para retornar à Câmara. De acordo com Alexandre, isso se deu para que o suplente José Bonifácio Schneider (PDT), o Juquinha, pudesse dar atenção à sua saúde.

“Não é segredo para ninguém. Ele está com problema de saúde”, ressalta o prefeito. “Para a gente evitar qualquer problema maior com o nosso colega José, a gente optou por isso aí (retorno de Cappra ao Legislativo)”, reforça. A reportagem conseguiu contato com um sobrinho de Juquinha que confirmou que o suplente de vereador está com problemas de saúde.

De acordo com o prefeito, a pasta de Cultura e Desporto ficará sob responsabilidade de Paula Marnelise Streit, que é titular da secretaria municipal de Educação. “Isso vai ser mais uma economia para o Município. Mais economia sempre é bom”, observa.

Deixe seu comentário