A casa da voluntária Márcia Beatriz Bastos, a Bia, localizada na rua Ponta Negra, no bairro Centenário, pegou fogo no dia 6 de julho. O sinistro teria sido provocado por um curto-circuito. Na madrugada do dia 9, os bombeiros tiveram de combater outro foco de chamas no mesmo imóvel. A casa ficou sem condições de ser habitada e, desde então, Bia passa os dias em residências de amigos.

A voluntária tinha 37 cães na casa e parte deles foi adotada. Os mais velhos não conseguiram novos lares e estão no pátio da antiga residência. Nessas duas semanas, o maior desejo de Bia é conseguir reconstruir sua casinha e voltar a morar com seus amigos de quatro patas.

Conhecida na cidade por recolher animais em situação de abandono, Bia tem recebido apoio de muitas pessoas, tanto que já ganhou praticamente tudo para a casa nova – ela ainda precisa de mesa com cadeiras, guarda-roupas, ferro de passar roupas e varal de chão. Contudo, o principal, ou seja, o próprio imóvel, ainda está longe de ser reconstruído.

A limpeza dos escombros será realizada pela Administração Municipal, mas Bia ainda precisa de material de construção e mão-de-obra. A voluntária quer “vida nova” e até aceitou receber apoio psicológico, para saber como melhor lidar com as dificuldades na administração das adoções e no acúmulo de objetos em casa. Ela se comprometeu a não ter mais de 10 cães sob seus cuidados e a pedir ajuda quando precisar de ração para eles.

Bia solicita à comunidade que siga colaborando. Por meio de uma Vakinha virtual, ela pretende arrecadar R$ 20 mil, que serão investidos na reconstrução. Até esta quarta-feira, 22, foram arrecadados R$ 17.436,00. Para doar qualquer valor, basta acessar o site  http://vaka.me/1052895 ou entrar em contato com Bia pelo telefone 51 9 9928 9983.

“No dia do incêndio, fiquei desesperada, mas depois, vendo a cidade se unir pra me ajudar, não tinha como sentir desespero e tristeza. Imaginava ter ajuda de uns conhecidos, mas não de gente que eu nem conhecia. Eu tenho só a agradecer”, acrescenta a voluntária, que faz faxinas para sobreviver e cuidar de seus animais.

Deixe seu comentário