A comissão encarregada do processo de Impeachment do prefeito Luiz Américo Alves Aldana está dando continuidade, na manhã de hoje, as oitivas das testemunhas de defesa. Estavam previstos três depoimentos até agora, mas não compareceram ao chamado o ex-secretário de Administração, Adão Vargas Aloy, e ex-procuradora Geral do Município, Juliana Steigleder Becker.

Não se sabe ainda se a comissão vai marcar uma nova data para ouvi-los ou se declarará dispensados da função. Por enquanto, só quem prestou depoimento foi José Helberto de Oliveira, que foi chamado pela defesa porque, no governo Percival Oliveira, ele participou da elaboração das planilhas do transporte escolar. Helberto não acrescentou grandes novidades ao que já tinha sido apresentado no processo. Declarou apenas que, quanto mais se exige nos quesitos de segurança e de garantias, mais caros se tornam os serviços de transporte escolar – o que é uma coisa bastante conhecida de todos. Ele falou também alguns aspectos técnicos do processo, mas praticamente nada acrescentou ao que já havia sido dito até aqui.

Também informou que mesmo não tendo prestado serviços para o governo Aldana, prestou alguma consultoria informal à secretária municipal de Educação, Silvana Schallenberguer, que entrou em contato com ele, no momento em que o município assumiu a produção das planilhas, para saber se estava tudo correto. Ele disse que analisou todos os dados que foram repassados a ele e que não encontrou qualquer tipo de irregularidade. Agora os trabalhos estão suspensos por 30 minutos, para que a comissão possa fazer a analise de alguns requerimentos apresentados pela defesa.

Deixe seu comentário