Luciano foi surpreendido nos metros finais da TTT ao receber o cartaz que mostra o antes e o depois da dieta

Superação. Montenegrino Luciano Enick disputou a tradicional TTT no último sábado

Não é fácil sair do confortável sofá de casa e iniciar uma rotina de atividades físicas. Ainda mais quando se pesa 153 kg. Com grande esforço, foco e equilíbrio, o montenegrino Luciano Cristoffari Bonatto Enick, de 49 anos, conseguiu superar a obesidade, perdeu 80 quilos em um ano e hoje brilha nas pistas. Atualmente com 73 kg, o determinado atleta local disputou, no último sábado, a desafiadora e tradicional Travessia Torres-Tramandaí (TTT), correndo solo os 82 quilômetros da prova.

Atleta completou solo os 82 quilômetros da ultramaratona no litoral, no último sábado

Tudo começou no dia 1° de janeiro de 2018, quando Luciano pesava exatos 153 kg. Naquele dia, ele decidiu abandonar a zona de conforto e perder (muito) peso. Sem cirurgia, Luciano adotou uma dieta vegetariana para emagrecer, sem carne, sem açúcar, com muitas frutas, saladas, proteína de soja e farinha integral. Além da alimentação, o montenegrino iniciou uma rotina de caminhadas e atividades aeróbicas, inclusive na piscina.

Ainda em 2018, no mês de outubro, Enick disputou sua primeira corrida, a Rústica da Associação dos Funcionários do Hospital Montenegro, quando pesava 82 kg (ou seja, já havia eliminado 71 kg). Na ocasião, ele correu o trajeto de 5 km. “Só comecei a correr quando cheguei aos 90 kg. Ainda naquele ano (2018), corri a São Silvestre, em São Paulo, no percurso de 16 km”, destaca.

A esposa Tatiana também corre com Luciano pela equipe Well Runners. Foto: arquivo pessoal

Luciano sofria com o excesso de peso desde pequeno. Com nove anos de idade, tinha 90 kg. Aos 15 anos, já pesava 150 kg. Motivos não faltaram para ele superar a obesidade, mas o que mexeu realmente com Luciano foi o sentimento do filho Israel, de apenas oito anos. “Amor de pai para filho conta muito. Um dia cheguei em casa e ele estava chorando, pois tinha visto em um programa de televisão que obesos morrem ‘cedo’. Aí, ele me perguntou se eu o amava. Uma das formas de demonstrar o amor foi provar que, com esforço, a gente chega lá. Hoje, o Israel me acompanha nos 500 metros finais das provas”, ressalta.

Outras situações também serviram como combustível para Luciano mudar de vida. “Às vezes, eu fingia que estava dormindo no ônibus para não ver a cara de decepção da pessoa que iria sentar ao meu lado. Na escola, o que me deixava mal nem era ser o último escolhido quando dividiam os times, mas sim porque ninguém queria me escolher. Um falava para o outro time ficar comigo”, relata.

A cada corrida, uma nova meta
Desde a primeira prova disputada, Luciano Enick estabeleceu metas para as corridas seguintes. Após competir em São Paulo, na tradicional São Silvestre, projetou correr uma meia-maratona (21 km) até abril de 2019. Depois de uma preparação intensa, o montenegrino disputou a Meia-Maratona de Camboriú-SC, no dia 28 de abril do ano passado.

O pequeno Israel é um dos principais incentivadores de Luciano no dia a dia

O desafio seguinte seria uma maratona (42 km) no segundo semestre. Em 25 de agosto, Luciano participou da Maratona de Florianópolis, concluindo a prova em 4 horas e 34 minutos. “Meu objetivo é completar o percurso, sem me lesionar e dentro do tempo estabelecido. Após completar a maratona, projetei e comecei a me preparar para a TTT”, enfatiza.

Durante os treinamentos para a desafiadora Travessia, que ocorreu no último sábado, no litoral gaúcho, o atleta de 49 anos correu aproximadamente 1000 km, em cinco meses. Foram inúmeros treinos de lomba, tiros curtos e resistência para sua primeira ultramaratona. Luciano completou os 82 quilômetros da TTT em 10 horas e 58 minutos. “Da metade em diante da prova, eu não conseguia comer mais nada, tinha náuseas. Trabalhei muito a parte mental. Minha esposa e meu filho me esperaram nos quilômetros 22, 46 e 65 para repor água e alimentação”, frisa Luciano.

Sonhos todos têm, mas é preciso haver um propósito para realizá-los. Uma hora você se pergunta: vale a pena? Se não tiver uma boa resposta para si mesmo, você desiste. Em uma ultramaratona, você não compete contra os outros participantes, é contigo mesmo. Quem está ali se preparou muito. Todo mundo torce para todos os atletas cruzarem a linha de chegada”, complementa o corredor.

Mesmo após ter eliminado 80 quilos, Luciano ainda pretende perder alguns quilos. Seu grande sonho, em médio prazo, é disputar o Ironman, prova de triathlon que envolve corrida, natação e ciclismo. Além do incentivo do filho Israel, o determinado Luciano exalta os papeis fundamentais que a esposa Tatiana, a treinadora Raíssa Joner, da assessoria Well Runners, e a nutricionista Jéssica Lucca têm em sua rotina de superação.

Deixe seu comentário