Cristiane Gehrke assumiu a diretoria de Indústria e Comércio em fevereiro

Fortalecer os empresários de dentro e atrair os de fora. O que esperar de Cristiane Gehrke à frente da diretoria

Cristiane Gehrke assumiu a diretoria de Indústria e Comércio de Montenegro no início de fevereiro. Aceitando o convite do Ibiá para falar sobre os projetos e planos do setor sob sua coordenação, ela conta que o convite do prefeito Kadu Müller para que assumisse o cargo foi uma surpresa positiva. Sem envolvimento político, Cristiane avalia o reconhecimento como reflexo de sua competência e experiência profissional anterior.

Empresária e com formação em Administração e Gestão Empresarial, o perfil da nova diretora vai de encontro à principal frente da secretaria à qual está atrelada: o Polo da Química e o esperado desenvolvimento econômico que este espaço deve trazer para Montenegro.

“Eu tenho Técnico em Química e, depois, Bacharel”, conta Cristiane. “Comecei a minha carreira no Polo Petroquímico de Triunfo. Tive quinze anos, tanto na área de laboratório, no comercial e, quando eu saí, eu estava na área de logística. A minha origem é essa, da indústria, e acabou que encaixou o que eu tenho de currículo com o que ele (o titular da Smic, Elias da Rosa) me propôs de desafios e metas da diretoria.”

O POLO DA QUÍMICA
Assumidamente uma prioridade da pasta, o Polo da Química segue em fase de estruturação. A expectativa é grande. No ano passado, foi assinado um protocolo de intenções entre as prefeituras de Montenegro e Triunfo, o governo estadual, o Sindicato das Empresas da Indústria Química e a Braskem para tornar a área do Distrito Industrial de Montenegro, o Distrito de Triunfo e o Polo Petroquímico um local atrativo e vantajoso para reunir diferentes empresas do segmento. Dando certo, aumento de arrecadação e geração de emprego e renda estão no horizonte para o Município.

Ao lado do secretário Elias, Cristiane integra o comitê do Polo, que tem representação de todas as entidades interessadas, e dá segmento a um plano de trabalho para a sua estruturação. Ela adianta que, atualmente, o grupo vem trabalhando em algumas questões de infraestrutura no Distrito de Montenegro.

“Tem uma estrada lá que precisa ser asfaltada. Também questão de iluminação. Esses são assuntos que nós estamos conduzindo através de ofícios e reuniões”, relata. Tratativas envolvendo o licenciamento ambiental da estrutura também estão ocorrendo. “Tem um cronograma e estamos sempre correndo atrás dessa agenda para não deixar parar”.

O protocolo de intenções foi assinado ainda na gestão do governador José Ivo Sartori. Com a troca de governo, o grupo está com uma pré-agenda para se reunir com o novo secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ruy Irigaray, e “provocar” algumas ações. Cristiane e Elias já conheceram Irigaray em um recente evento e as expectativas são boas.

“Ele se colocou muito aberto e preocupado com a situação dos distritos e, para ele, esse processo tem que acelerar”, destaca a diretora. “Ele querer acelerar os distritos, para nós, é uma ótima notícia, de que as portas estão abertas para a gente.”

MONTENEGRO NA “VITRINE”
Cristiane reconhece que faz tempo que Montenegro não recebe novas empresas de grande porte, mas adianta que vêm novidades por aí. “A gente não pode revelar nomes ainda, mas isso deve acontecer nos próximos meses. Teremos, sim, novos empreendimentos se instalando na cidade”, destaca. “Existem processos que já estão alinhados, em fase de compra de terrenos e de providenciar documentação para a real instalação.”

O trabalho no Polo da Química, claro, tem esse objetivo com todas as vantagens oferecidas pelo local (o terminal hidroviário, o fácil acesso rodoviário, a proximidade com o Polo Petroquímico, etc). Mas mesmo fora do projeto, a distância do Município com o Vale do Taquari e Porto Alegre é apontada pela diretora como atrativo, por natureza, a novos empreendimentos. Há locais ofertados para empresas, também, às margens da ERS-124.

“Fora isso, nós estamos trabalhando na divulgação de Montenegro”, adiciona Cristiane. “Hoje, a secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado sabe que o Município está bem preparado para novos investimentos. É comum que os empreendedores busquem o Estado para pedir sugestões de instalação; e Montenegro está, realmente, muito alinhado com a secretaria estadual. Temos portas abertas lá para fazer esse link direto com quem, muitas vezes, canaliza esses novos empresários.”

O Polo da Química busca atrair mais empresas de terceira geração do segmento. FOTO: VITOR KALSING

Poder Público focado na aproximação com empresários
Ao lado da busca pelos novos, Cristiane Gehrke define como foco de sua diretoria o fortalecimento dos negócios já instalados em Montenegro. “Nós não podemos só pensar em novos empreendimentos e depois esquecer de quem já está instalado aqui”, salienta. Para isso, o foco é a aproximação entre as empresas e a Prefeitura.

“Nós desenvolvemos toda uma agenda onde a gente tem visitas programadas aos empresários locais. Isso para que a gente tenha uma maior compreensão de quais são as dificuldades deles e no que o Poder Público pode ajudar”, conta a diretora. “Temos todo um planejamento de visitas semanais. Precisa desse conversa, precisa desse diálogo.” Em muitos desses encontros, o prefeito Kadu acompanha a equipe.

QUALIFICAÇÃO
Da aproximação com empresariado, Cristiane destaca a percebida demanda por mão de obra mais qualificada em Montenegro. “Nós recebemos isso dos empresários. Se nós queremos uma indústria e um comércio mais fortalecidos, a gente precisa trabalhar na qualificação. Isso, através de cursos, palestras e subsídios para quem já está aqui, instalado.”

Nessa frente de trabalho, a diretora destaca a relação da pasta com as entidades do Sistema S que já estão consolidadas na cidade (Sanai, Senac e Sebrae). “Nós temos a demanda por parte dos empresários e nós temos as entidades que funcionam em Montenegro, mas que ainda trabalham de forma separada”, coloca. “A ideia é que a gente se una, onde mós captamos essa demanda e repassamos dizendo ‘ó, Montenegro tem a necessidade desse e desse curso’”.

Nesse alinhamento com o Sistema S, a diretoria também está atuando no apoio e divulgação da Feira de Empreendedorismo do Senac, agora no mês de maio. Fomentando a formação de pessoas mais capacitadas, Cristiane destaca, ainda, o apoio a eventos e projetos da iniciativa privada voltados a inovação; e um importante projeto da secretaria que está para sair do papel: a incubadora empresarial.

Na foto, registro da visita do prefeito Kadu e do secretário Elias da Rosa à indústria Erplasti. Atividade integra o projeto de aproximação da pasta com empresários. FOTO: ACOM/PREFEITURA

Atenção aos pequenos
A diretora de Indústria e Comércio salienta que as ações da pasta não são voltadas somente aos “grandes”. “A gente tem um trabalho com as empresas de pequeno porte via ACI, Sindilojas e CDL. Nós estamos muito próximos dessas entidades para fazer um trabalho conjunto com eles, também na linha de captar quais são as demandas e necessidades”, diz.

“Um exemplo prático é que nós temos a demanda de que nossos vendedores estejam melhores capacitados”, coloca. “Estamos, junto com o Senac, trabalhando em cursos de capacitação para cursos de venda, olhando as propostas do Sistema S para que essas pessoas estejam capacitadas para a colocação no mercado de trabalho”. Ela avalia que a diretoria acaba sendo uma ponte entre os empresários e a Prefeitura, inclusive no que se refere às demais necessidades que não competem a pasta.

LEIA MAIS:

Deixe seu comentário