O Instituto Penal de Montenegro fica na rua Doutor Bruno de Andrade, sem número, no bairro Municipal. O telefone para contato de voluntários é (51) 3632-3588

MONTENEGRO. Iniciativa visa a mudança de comportamento e reinserção social de apenados

A remição da pena pela leitura está prestes a se tornar realidade nas casas prisionais de Montenegro. O Instituto Penal (Susepe) e a Penitenciária Estadual Agente Jair Fiorin estão formatando o projeto que tornará possível aos seus detentos terem remição de pena pela leitura. Contudo, não basta apenas ler, é preciso mostrar por escrito ou de forma verbal o que foi entendido sobre a obra e buscar o aproveitamento da lição.

A iniciativa de implementar o projeto surgiu da assistente social, especializada em Segurança Pública, da 1ª Delegacia Penitenciária Regional Iarani Augusta Galúcio Rocha. A ideia foi aprovada pela direção de ambas as penitenciárias. A remição pela leitura integra as ações de educação, voltadas a apenados, prevista na portaria 033/2019, publicada no dia 28 de março.

Nairo Resta Flores é
diretor do Instituto Penal

Na prática, uma professora irá se reunir mensalmente com os detentos que aderirem ao projeto e indicar a obra que deve ser lida. Eles terão 30 dias para realizar a leitura e elaborar um material interpretativo. No término do período haverá um novo encontro onde será feita a mostra do que foi compreendido. O leitor poderá optar por fazer uma apresentação oral ou por escrito.

A orientadora fará um relatório, que será encaminhado à Vara Judicial, relatando o resultado e as horas empregadas pelos detentos em relação aos livros. A partir disso, será arbitrada a remição do tempo da pena. Iarani destaca outro benefício. “Esse é um projeto que pode acontecer paralelamente ao trabalho prisional. O preso vai se organizar, de dia desenvolve o trabalho e de noite realiza a remição pela leitura”.

No Instituto Penal, que recebe detentos do regime semi-aberto, intenção é que a aula inaugural do projeto ocorra no mês de outubro. Na manhã dessa quinta-feira, 5, a professora aposentada Ana Maria Antunes firmou a intenção em trabalhar de forma voluntária no projeto.

Livros como ferramentas para a transformação social
O diretor do Instituto Penal de Montenegro, Nairo Resta Ferreira, espera que, por meio da leitura, os apenados passem a ter um comportamento diferente em relação ao convívio social. “A gente tem que tentar fazer um trabalho diferente. Fazer com que saiam daqui diferentes”, destaca. “O ciclo de vida deles é bem complicado. Estamos tentando montar um ambiente diferente para que saiam daqui pensando de outra forma”, complementa o diretor.

A expectativa de Nairo é que 100% dos 76 apenados integrem o projeto de remição pela leitura. Estimular o interesse literário é uma das propostas da instituição que, atualmente, também está empenhada em montar uma biblioteca e um laboratório de informática. A comunidade pode ajudar a tornar ambos os projetos possíveis.

São aceitas doações de livros pedagógicos e de todos os gêneros literários. O material servirá inclusive para a preparação dos detentos inscritos para provas do Encceja , que acontece na instituição no dia nove de outubro, e também aos que irão se inscrever para o ENEM. O trabalho voluntário é outra forma de colaboração esperada pelo diretor do Instituto Penal.

Voluntários interessados em ministrar aulas de informática aos detentos devem entrar em contato com Nairo, pelo (51) 3632-3588.

Deixe seu comentário