Penitenciária Estadual de Montenegro Foto: arquivo Jornal Ibiá

Os apenados do regime fechado da Penitenciária Modulada de Montenegro fizeram uma “greve”, parcial, de fome. O fato teve duração de dois dias, nessa segunda e terça-feira, dias 5 e 6. A iniciativa teve o objetivo de reivindicar o retorno das visitas presenciais.

Conforme a assessoria de comunicação da Superintendência do Sistema Prisional (Susepe), os detentos não passaram fome, apenas não quiseram receber os alimentos fornecidos pelo Estado. Em suas celas, eles contavam com mantimentos da cantina da casa penitenciária e também com itens levados por seus familiares – que são deixados na recepção da Modulada. A pressão pelo retorno das visitas ocorreu de forma pacifica.

 

Sobre as visitas

As visitas presenciais, no sistema prisional no Estado, foram suspensas em 23 de março, como forma de prevenção à disseminação da Covid-19. Em 8 de abril, foi instituída a modalidade de televisita, como forma de “reduzir” o distanciamento ocasionado pela suspensão das visitas presenciais.

A última atualização da Nota Técnica nº 1/2020, que tratada sobre as visitas, feita no dia 3, prorroga a suspensão até o dia 15 de outubro. A decisão de liberação tem por base um plano de retomada gradual e controlada, já construído pela Pasta, o qual está em fase de validação junto aos órgãos competentes, dentre eles a Secretaria Estadual da Saúde e o Gabinete de Crise para o Enfrentamento da Epidemia Covid-19.

A previsão de retorno das visitas é para o dia 16. Caso se efetive, uma série de regras deverão ser estabelecidas para preservar a saúde de detentos e visitantes. Uma das possibilidades é que menores de 18 anos e maiores de 59 não possam visitar os apenados.

Deixe seu comentário