Reportagem constatou os restos do caixão já incinerados

A reportagem do Jornal Ibiá recebeu registros de um material sendo incendiado dentro do Cemitério Municipal no início da tarde desse domingo, 7 de março. O mesmo já circula pelas redes sociais e comentários dão conta de que se trataria de um caixão sendo incinerado a céu aberto. Há pouco, a responsável pelo local na Prefeitura confirmou o fato.

Beatriz Teixeira diz que foi uma decisão precipitada do coveiro do cemitério ter ateado fogo ao caixão nesse domingo. É que fotos do caixão largado no mato dos fundos do complexo já vinham circulando nas redes desde a manhã, chocado internautas e levantado uma polêmica quanto ao seu descarte irregular. Não havia restos mortais em seu interior.

Ela aponta que, conforme o procedimento padrão, houve uma exumação dentro do Municipal, no local destinado a famílias carentes e que não têm condições de custear um sepultamento. Pela regra, essas famílias, no momento do enterro, assinam um termo de que seu ente querido ficará neste espaço por três anos. Após, seus restos podem ser retirados ou, se não, recolhidos e depositados no ossário.

O caixão em questão era de uma dessas pessoas e já estava, inclusive, por mais de três anos em uma das carneiras; que precisou ser usada em um novo enterro na sexta-feira, 5. Os restos mortais que lá estavam foram colocados em um saco. “Houve a exumação e o caixão foi colocado lá atrás, num contêiner que a gente tem para isso”, relata Beatriz. “Mas alguém retirou do contêiner e colocou lá onde tem entulho. Acredito que a mesma pessoa que retirou foi a que fez as fotos.”

A responsável diz que, pelo certo, o caixão seria buscado na segunda-feira pela secretaria de Meio Ambiente para receber o descarte correto; mas coloca que, em meio a polêmica, acabou sendo decisão do coveiro a incineração dele, que já estava bastante apodrecido por seu tempo de existência. Beatriz reforça que atear fogo não é o procedimento padrão. “Nós temos o maior respeito por esse trabalho”, garante.

Deixe seu comentário