Foto: MP

A Delegacia de Polícia Regional e a Delegacia de Policia de Pronto Atendimento (DPPA) de Montenegro deram apoio, na manhã desta terça-feira, 19, no cumprimento de mandados de uma ação que teve, entre outros resultados, a apreensão de diversos celulares e mais de R$31 mil na Penitenciária Modulada do Pesqueiro. Magna Ópera é a denominação dada a operação do Ministério Público do Rio Grande do Sul, em parceria com a Polícia Civil, contra uma organização criminosa atuante no Estado.

O objetivo da ação é combater o crime de lavagem de dinheiro decorrente do tráfico de drogas em larga escala, além da desarticular braços financeiros de duas abastadas células da facção.

Pelo menos 10 suspeitos foram presos, entre eles um dos líderes de uma das células. Ele foi detido em flagrante, em uma mansão em Novo Hamburgo, por porte ilegal de arma e por descumprir prisão domiciliar em Santa Catarina.

A ação cumpriu mandados de busca, indisponibilidade de bens imóveis, veículos e ativos financeiros espalhados pelo Estado e em todo o Brasil, tudo pertencente a uma organização criminosa que possui suas lideranças principais sediadas no Vale do Sinos. A lavagem de capitais, segundo a investigação, se dava através de uma rede de operadores financeiros, empresas, laranjas, entre outros meios.

A investigação contou com participação do Núcleo de Inteligência do Ministério Público, coordenado pelo promotor de Justiça Marcelo Tubino Vieira, e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MPRS), por meio do Núcleo de Combate aos Crimes de Lavagem de Dinheiro, com a coordenação do promotor de Justiça Diego Rosito de Vilas.

Para viabilizar a ação, foram acionados, além da equipe do Gaeco, mais de 200 policiais civis gaúchos, três equipes da Deic da Polícia Civil de Santa Catarina e equipes de apoio da DPRI de Montenegro, Core/DPM e DP de Capão da Canoa, distribuídos em 70 viaturas. Os números são o resultado do trabalho desenvolvido em duas investigações distintas que visaram descapitalizar duas diferentes lideranças.

As cidades abrangidas pela operação foram São Leopoldo, Novo Hamburgo, Estância Velha, Capão da Canoa, Guaíba e Viamão, no Rio Grande do Sul, e os municípios catarinenses de Itapema e Camboriú.

Fonte:MP

Deixe seu comentário