A dança é uma das manifestações da cultura Hip Hop Foto: Arquivo Ibiá

A Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul aprovou por unanimidade, na última semana, o projeto de Lei 376/2021, da deputada Sofia Cavedon, que declara como de relevante interesse cultural estadual a “Cultura Hip- Hop” em todas as suas manifestações no Estado do Rio Grande do Sul. O relatório recebeu 11 votos favoráveis e nenhum contrário e a matéria agora segue para o departamento de Assessoramento Legislativo que avaliará se a matéria segue para outra comissão ou se vai diretamente à apreciação do plenário.

O projeto que teve início a partir de uma provocação do Fórum Permanente de Hip Hop a deputada, teve a colaboração de entidades e lideranças do Hip Hop de Porto Alegre e todo o Estado, que juntos construíram e modificaram textos de registros já existentes no Rio de Janeiro e outros Estados. Além disso, após a construção do texto foi feita uma audiência pública na Assembleia Legislativa para apresentar a proposta, na qual foi deliberado que hoje o Hip Hop é patrimônio cultural imaterial do Rio Grande do Sul.

Para o embaixador do Hip Hop gaúcho, MC Pedrão, este passo é um reconhecimento mais que merecido após décadas de luta e espaço. “Vai ajudar a fortalecer ainda mais a cultura de rua que é sinônimo de resistência. E seguimos firmes na nossa luta por uma sociedade justa pra todas as pessoas”, fala.

Integrante do Fórum Permanente do Hip Hop Gaúcho, B.Boy Jukinha, relata que esta luta teve início em 1999, com a primeira organização de Hip Hop do Estado e demais entidades do movimento. “É um grande sentimento de felicidade, pois este registro vai garantir ao Hip Hop mais respeito e o investimento por parte dos gestores públicos de todo Estado. E é um grande avanço que irá valorizar o Hip Hop em todas as cidades do Rio Grande do Sul”, completa.

 

Deixe seu comentário