Espaço de três hectares fica localizado no Passo da Serra Foto: Divulgação/Cufa Montenegro

Integração. Local terá blocos voltados ao cultural, social e educacional, ambiental e desportivo

Autoestima das comunidades, trabalho, renda, qualidade de vida, cultura e equilíbrio social. Esses são alguns dos pontos trabalhados pela Central Única das Favelas (Cufa) de Montenegro. Nesta sexta-feira, 10, a unidade lançou mais um projeto que irá desenvolver essas e muito mais áreas da sociedade: o Espaço Isokan.

O Espaço Isokan da Cufa é um espaço público que busca promover a integração e inclusão social, por meio da cultura, educação, empreendedorismo, preservação ambiental, esporte e lazer, para crianças, adolescentes e mulheres em situação de vulnerabilidade na região. A área do projeto é situada no Passo da Serra, com três hectares que abrangerão também quatro blocos organizados, que setorizam o projeto pelas suas funções: bloco cultural; bloco social e educacional, bloco ambiental e bloco desportivo.

Local será dividido em quatro blocos organizados Foto: Divulgação/Cufa Montenegro

Segundo o coordenador da Cufa Montenegro, Rogério Santos, a área foi escolhida devido à sua localização periférica, longe das opções culturais da cidade e pela oportunidade de transformar um espaço vazio em um espaço vivo, dinâmico, capaz de gerar novas perspectivas individuais e comunitárias. “Isokan é um sonho que a Cufa começou a fazer o planejamento a basicamente 10 anos”, conta.

Preservando toda a área verde ao redor o projeto visa oferecer reforço escolar no contraturno; a prática do xadrez e outros jogos; dança; biblioteca comunitária; laboratório de informática; sala de cursos, acolhimento, empreendedorismo e treinamento. Além de teatro; laboratório de tecnologia e robótica; cozinha industrial; música; memorial do negro do Vale do Caí; esportes; hortas orgânicas e educação ambiental.

Integrante da Cufa e liderança do Núcleo Maria Maria, Carliane Pinheiro, a Kaká, declara que através do espaço será possível desenvolver diversas atividades importantes para a população menos favorecida. “São anos dedicados a esse projeto. Eu sou nascida e criada em periferia e eu sei o quanto é difícil a gente nascer e os nossos pais também poder dar um pouco de perspectiva pra nós, é muito difícil, porque não tem perspectiva nenhuma, é uma luta diária”, relata. Ela ressaltou ainda a importância dos parceiros no desenvolvimento das atividades da Cufa.

Coordenador, Rogério Santos, e integrantes da Cufa Montenegro

No Espaço Isokan uma parte da estrutura já foi construída, mas ainda faltam algumas etapas para a finalização. Alugado, o Espaço da Cufa possui previsão de compra em três anos. Segundo Santos, os recursos para a finalização da obra serão via captação, patrocínios, apoio, rifas, quermesses, vaquinhas, etc. A previsão de término da primeira fase é para janeiro de 2022.

De acordo com Rogério, livros e equipamentos para a cozinha já foram adquiridos. “Hoje pra nós é um dia muito importante. […] O projeto Isokan surgiu para dar novas perspectivas”, fala o coordenador.

Parceiro da Cufa, MC Pedrão, citou versos da música A Vida é Desafio do Racionais Mc’s

O lançamento do projeto foi realizado na Estação da Cultura, no Espaço Braskem, com a presença de parceiros, voluntários e autoridades locais e estaduais. Na ocasião, a secretária Estadual de Cultura, Beatriz Araujo, ressaltou o valor da Cufa para as comunidades. “Eu tenho certeza que esse projeto da Cufa vai ser um projeto que vai render muito. É mais uma atividade da Cufa que certamente vai fazer a diferença na vida dessas pessoas que estão em situação de vulnerabilidade social”, diz.

Integrante da juventude da Cufa, Mariana Kronhardt, destacou que com o Espaço Isokan muitos jovens poderão ter um futuro garantido nos estudos. “É muito importante esse espaço para nós, porque a gente pode executar muitas atividade e principalmente no contraturno escolar. Vamos poder acompanhar o estudo das crianças”, completa.

No evento também foi anunciado um novo projeto de música que será realizado em parceria com a professora de música, Rosângela dos Santos. Com o desejo de ensinar música a crianças e adolescentes que estão inseridas em comunidades menos favorecidas, a professora entrou em contato com a Cufa Montenegro. “A ideia é atender inicialmente 36 crianças e adolescentes entre idades de 8 a 16 anos, alunos das escolas municipais e que queiram aprender o instrumento do violino”, fala a montenegrina.

A artista plástica, Regina Simões (à esquerda) doou quadro a Cufa que foi entregue à secretária Estadual de Cultura, Beatriz Araujo

Balanço das atividades

Durante a cerimônia, em comemoração aos 13 anos de atividades da Cufa Montenegro, também foi realizado um balanço das atividades no Município e região. Segundo o coordenador da Cufa Montenegro, desde a criação já foram impactadas mais de 85 mil pessoas diretamente, através ações e projetos.

Atualmente a Cufa desenvolve 12 projetos em diversas áreas em Montenegro. Foram destacadas ações como palestras sobre questões raciais, sociais, drogas, feminismo, violência doméstica, empoderamento, onde já foram atingidos 37.896 pessoas de público. Além das ações durante a pandemia em que foram distribuídas 500 toneladas de alimentos, 400 cargas de gás de cozinha, 450 cartões de alimentação no valor de R$ 100.00, 160 cartões de alimentação de R$ 240.00, totalizando R$ 76.200. Também foram distribuídos 230 kits de materiais escolares, 6.500 absorventes, 1.230 pacotes de fraldas infantis e 45 de fraldas adultas, 9.700 peças de roupa, 825 caixas de leite e 12.500 kits de higiene.

Um grafite foi feito durante o evento por Jeferson Martins

Deixe seu comentário