foto: reprodução internet

Na manhã dessa segunda-feira, 25, os soldados Carin Daniele Gomes e Geovani dos Santos foram contatados pela Sala de Operações do 5º Batalhão da Polícia Militar de Montenegro para atender uma situação atípica. Uma criança de um ano e oito meses de idade ficou presa em um carro, por cerca de três horas. O automóvel estava estacionado na rua Santos Dumont, em frente a loja 11:11, próximo a esquina com a rua Ramiro Barcelos.

A BM foi chamada por populares que perceberam a criança, após o alarme do Ford KA vermelho disparar. Os agentes cercaram o veículo e chamara um profissional da Fechaduras Tavares para abrir a porta. A menina saiu da cadeirinha e passou para a frente. A pequena foi retirada lúcida, mas em choque. Ela estava suada e uma mulher que prestou ajudar retirou parte das roupinhas, para que se refrescasse.

Quando o resgate já estava sendo concluído, e a menina sendo encaminhada ao hospital, seu padrasto apareceu e acompanhou o socorro. O Conselho Tutelar foi contatado, mas não apareceu no local.

Segundo informações, o bebê deveria ser levado à creche pelo padrasto, mas como ele não é acostumado a fazer isso, acabou indo direto para a loja onde trabalha, na rua Ramiro Barcelos, e esqueceu a criança no veículo. A garotinha ficou trancada no carro das 8h até 10h50min.

A mãe da criança, que trabalha na mesma empresa em que seu companheiro é gerente, chegou à loja por volta das 9h, mas não perguntou nada sobre a menina, pois acreditou que a criança havia sido deixada na escolinha pelo padrasto.

O caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), o padrasto irá responder em liberdade por Abandono de Incapaz. A menina continua sob a guarda da mãe.

A reportagem tentou contato com ambos os envolvidos, mas estavam de folga do trabalho, no período da tarde. O funcionário da empresa que atendeu a ligação não é autorizado a fornecer o telefone dos colegas.

Deixe seu comentário