As chamas consumiram totalmente o imóvel de madeira na Estrada do Calafate

PERDA TOTAL. Família precisa de todo o tipo de doações e ajuda para reerguer imóvel

A inocência do pequeno menino de três anos de idade resultou na destruição da casa onde morava com o pai, Lúcio Alves, e a mãe Deise Vieira, que está grávida de sete meses, esperando uma menina. Ao brincar com um isqueiro, o garotinho acabou provocando um incêndio. O fato ocorreu na manhã dessa sexta-feira,29, na Estrada do Calafate, na localidade de Vendinha, em Montenegro.

Segundo Lúcio, sua esposa estava sentada ao lado da casa quando o filho entrou na residência e pegou o acendedor. O menino teria ateado fogo no colchão. Em poucos minutos as chamas se espalharam. “Eu tava nos fundos, capinando a horta quando a mulher me chamou. Entrei na casa apavorado, achei que o pequeno tava lá dentro. O fogo passava em cima da minha cabeça, foi horrível”.

Os moradores precisam de doações para recomeçar suas vidas

No meio do fogo e da fumaça, Lúcio não conseguiu procurar o menino dentro da casa. Ao sair do meio das chamas, ele viu que o filho estava próximo à casa dos sogros, que fica no mesmo terreno. Os bombeiros foram chamados, mas devido à distância, quando chegaram ao local, o fogo já havia consumindo os três cômodos de madeira e parte do banheiro, de alvenaria. Por pouco as labaredas não se espalharam para a outra residência. Devido às fumaça, o sogro de Lúcio, que possui problemas de saúde, precisou ser socorrido por vizinhos. Apesar do susto, ninguém ficou ferido.

As perdas materiais causam emoção na família que sobrevive com renda de R$1mil, fruto do benefício ganho por Lúcio, que apresenta distrofia muscular. “É muito triste ver tudo que tu tem pegando fogo. Era tudo doação que o pessoal da rua nos deu”, desabafa Lúcio.

O que mais comove o pai de família é lembrar que perdeu as caixas de leite que havia comprado para o filho, e os mantimentos ganhos nessa semana. As lágrimas escorrem pelo rosto de Lúcio quando conta que sua mãe havia feito um empréstimo de R$500,00 para que ele pudesse trocar as rodas do carro, que há meses está parado em frente à casa. Com o carro arrumado, ele pretendia vender melancias para melhorar o sustento da família. “O dinheiro tava no bolso de uma calça, queimou tudo”, conta.

A família ficou apenas com a roupa do corpo e a esperança de que corações solidários lhe prestem ajuda. Todo tipo de doação é bem-vindo, inclusive para o bebê que está à caminho. Além de material de construção, é preciso mão de obra. Interessados em colaborar podem entrar em contato com Lúcio pelo telefone 51 99200 0625.

Conforme a assessoria de comunicação da prefeitura de Montenegro, uma equipe da secretaria municipal de Assistência Social e Cidadania deslocou-se até o local para fornecer mantimentos e roupas. Por enquanto, mesmo com o forte cheiro de fumaça e pequenas acomodações, a saída para a família é permanecer na casa dos pais de Deise.

Deixe seu comentário