Silberto Henrique Francisco usou uma enxada para afastar as folhas e tentar controlar as chamas na área

INESPERADO. Homem realizava limpeza em área de eucaliptos quando perdeu a vida

O corpo de Silberto Henrique Francisco, de 61 anos, foi encontrado por volta das 20h35min dessa quinta-feira, dia 10, em um mato, na localidade de Vila Progresso, no interior de Brochier. O cadáver foi localizado por Rosane Viebrantz, moradora do local. A Polícia foi chamada e contatou que a vítima estava parcialmente queimada, trajando camiseta, bermuda a botas de cano longo típicas de trabalho rural. O registro da ocorrência foi feito na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Montenegro. As informações dão conta de que Silberto teria passado mal em meio à área de queimadas.

Lilo Streit mora em frente ao local da tragédia e viu as chamas subirem na plantação de eucaliptos

Seu Lilo Streit, 67, mora bem em frente ao local da tragédia. Ele conta que na tarde dessa quinta-feira, 10, Silberto chegou às terras da família dele por volta das 14h, estacionou seu fusca e foi até a casa de Lilo. Após conversar por algum tempo, ele resolveu dar início ao trabalho de limpeza do terreno, trabalho para o qual havia ido até o local.

Conforme Lilo, Silberto ateou fogo em três pontos no campo. As chamas começaram a se espalhar e o trabalhador voltou à casa do amigo para pegar uma enxada. Com o objeto, ele pretendia espalhar as folhas secas para evitar que o fogo se alastrasse ainda mais. “Lá no meio vi ele tentando apagar o fogo que tava subindo. Ele foi subindo, subindo e eu não vi mais”, lembra Lilo.

Rosane Viebrantz

Silberto ia com frequência àquele local, mas nunca ia embora tarde. “Ele sempre voltava pra casa lá pelas 5h. Ontem deu seis, sete e nada de ele aparecer. Estranhei que o carro dele continuava ali”, diz Lilo. Por volta das 19h30min a família foi até o local para ver o motivo da demora do pai de família em voltar para casa.

Rosane Viebrantz, 59, e o marido dela, Valério Klaus, 61, viram a movimentação e resolveram ajudar. “Tinha fogo ali a tarde toda. Não era mais horário dele estar ali”, comenta Rosane. Com uso de lanternas, os moradores partiram à procura de Silberto. O que Rosane não esperava era encontrá-lo sem vida. “Fui olhar num córrego que tem lá, fui mais para cima no terreno. Quando iluminei vi ele. Só dei um passo pra trás, estou tremendo até agora”, conta a moradora que ainda tenta se recuperar de um quadro de depressão. “Parece que Deus me guiou para achar ele”, diz.

A vítima havia colocado fogo para limpar a área próximo a uma plantação de eucaliptos

Ainda sem conseguir dormir direito, o casal que mora no local há poucos meses, afirma que Silberto era uma pessoa querida por todos na localidade. “Era gente boa. A gente gostava muito dele”, ressalta Valério. “Eu disse que não era um bom dia pra colocar fogo. Passei a tarde toda apreensiva”, conta Rosane.

Segundo os moradores, Silberto passou mal ao tentar controlar o fogo. Ele teria problemas cardíacos, mas não há informação oficial sobre a real causa de sua morte. A vítima deixa esposa, filhos e seus pais. O corpo foi velado na capela municipal e sepultado às 17h, em Brochier, cidade onde residia a vítima. Abalada, a família não quis falar sobre o caso. Silberto era primo do prefeito de Pareci Novo, Oregino José Francisco.

Deixe seu comentário