Diferencial é a rastreabilidade do paciente ainda na rede de atendimento

Em meio ao medo, uma boa notícia. O Hospital Montenegro-100% SUS é o primeiro no Rio Grande do Sul a implantar o Salus, um sistema de triagem rápida para identificar pacientes com suspeita de contaminação pelo novo Coronavírus. A partir desta quinta-feira, dia 2, quem chegar à instituição com suspeita da doença já ficará em uma sala separada para a pré-triagem.

O objetivo do sistema é reduzir a interação do paciente contaminado com outras pessoas na sala de espera do Pronto-Atendimento (Plantão). Assim, reduz em muito os riscos de contagio e propagação do vírus pela Região. E neste momento de pandemia, conter a proliferação é o remédio mais eficiente.

Salus está na entrada da tenda de triagem do Hospital. Fotos: Assessoria de imprensa/ Insider2

O diretor executivo da casa de saúde, Carlos Batista, destacou que o HM conta com profissionais muito qualificados, no entanto, o vírus é algo novo. “Ainda estamos todos aprendendo a lidar com ele. Saber que a tecnologia está a nosso favor nos dá mais segurança neste enfrentamento”, afirmou.

O software foi criado pela startup gaúcha beeIT, que está disponibilizando-o gratuitamente para hospitais e unidades de saúde de todo o Brasil. De acordo com o diretor da empresa, Sandro Pinheiro, o sistema é simples. Ele funciona por plataforma online, a partir dos dados do paciente no Protocolo de Classificação de Risco padrão, que utiliza a classificação por cores para definir a prioridade do atendimento. Também utiliza o preenchimento do protocolo da epidemia. “Em menos de 2 minutos, o software Salus orienta o enfermeiro da triagem sobre os procedimentos que ele deve adotar em cada caso”, explicou.

Tecnologia gaúcha para o mundo
No atual cenário mundial, em que o vírus tem se alastrado rapidamente, o principal diferencial do sistema é a rastreabilidade do paciente ainda na rede de atendimento. Por exemplo, depois de confirmado a contaminação por Coronavírus, é possível identificar todas as pessoas que estiveram na sala de espera junto com o contaminado.

Se o software estiver integrado na rede pública, é possível mapear os pontos de atendimento por onde o infectado passou e quem teve contato com ele. A ideia é propagar o uso do sistema em todo o Brasil, sendo que havia sido criado, inicialmente, em um formato de comercialização. “Mas, a partir do aumento dos casos, sentimos a necessidade de adaptá-lo de uma maneira que pudesse ser usado, sem custos, nos hospitais e unidades de saúde”, revelou Pinheiro.

Software acessível na Internet
Hospitais e unidades de saúde que queiram utilizar o serviço gratuitamente podem acessar o site www.beeit.com.br, ou entrar em contato com a empresa pelo WhatsApp (51) 99792-7516.

Casos se multiplicam
Atualmente, já foram confirmados mais de 962 mil casos de Covid-19 no mundo, com mais de 49 mil óbitos. O único continente não atingido é a Antártida. No Brasil, até o momento, há mais de 6,9 mil casos confirmados e 250 mortes.

1 comentário

Deixe seu comentário