Foto: Reprodução/Internet

Para garantir o início do funcionamento de 136 leitos de UTI em 18 hospitais sob gestão estadual, que serão destinados a pacientes de Covid-19, o Governo do Estado vai realizar o pagamento dos custos das diárias previstas na habilitação pelo Ministério da Saúde. O anúncio foi feito pelo governador Eduardo Leite, nesta segunda-feira, dia 4. A demora para autorizar o funcionamento é mais um problema causado pela troca no Ministério da Saúde em plena crise de pandemia.

A habilitação ainda não aconteceu e, para que sejam colocadas imediatamente em operação, o Rio Grande do Sul precisou encaminhar uma portaria que vai viabilizar o pagamento das diárias até que tenha o recurso específico. “É uma decisão muito importante para priorizar o atendimento à população”, afirmou Leite na transmissão ao vivo diária de atualização sobre coronavírus no Estado.

Com custo médio diário de R$ 1,6 mil por leito de UTI, o valor mensal a ser investido pelo governo nos 136 leitos estaduais, distribuídos em 18 hospitais, está estimado em R$ 6,7 milhões. Há ainda outros 150 novos leitos prontos, em 19 hospitais, que estão sob gestão dos municípios, a quem o Estado pede que tomem a mesma medida. O investimento por parte das prefeituras somaria R$ 7,4 milhões por mês.

Ampliação
Dentro da estratégia de ampliação da estrutura hospitalar para atendimento de pacientes com Covid-19, o Rio Grande do Sul já criou, no total, 286 novos leitos de UTI, que estão prontos para operar. Esses 286 novos leitos representam uma ampliação de quase 30% na capacidade do Rio Grande do Sul, que contava até agora com 1.001 leitos de UTI adulto com atendimento oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Deixe seu comentário