Para Andréia Schossler e Carla Rocha, o calorão é uma dificuldade a mais para os candidatos

Centenas de candidatos realizaram, neste domingo, o concurso público da Prefeitura de Maratá. Ao todo, 432 pessoas se inscreveram para as provas, que foram aplicadas nos turnos da manhã e da tarde para vários cargos do Município. Além da dificuldade das questões, o calorão também era uma preocupação de muitos candidatos que fizeram a prova à tarde.

A marataense Andréia Cristiane de Brito Schossler e a salvadorense Carla Rocha comentaram sobre as temperaturas elevadas. “Esse calorão atrapalha, influencia na concentração. Em provas assim, é essencial se hidratar bem, fazer uma alimentação leve antes e chegar ao local com antecedência, para não haver nenhuma preocupação ‘extra’ na hora da prova”, frisam.

Na prova deste domingo, as candidatas buscaram colocar em prática seus conhecimentos e a experiência em concursos para obter êxito. “Tivemos muitos concursos na região em sequência, a maioria para cadastros reservas. Com o passar dos anos, a dificuldade tem aumentado bastante. Recentemente, fiz o concurso em Salvador do Sul e não passei por uma questão”, lamenta Carla.

Ao contrário de Andréia e Carla, a jovem Ana Amélia Haupenthal teve sua primeira experiência em concurso neste domingo. “Não tenho uma grande expectativa, estou fazendo (o concurso) mais para experiência mesmo. Nem me preparei tanto, o foco é ter uma base para futuros concursos”, explica.

Paulo Moura costuma ler bastante para estar sempre bem informado

Morador de Tabaí, Paulo Moura acredita que a leitura é fundamental para conquistar um bom resultado na prova. “Já fiz outros concursos antes. A parte da legislação é difícil, por isso é essencial ler toda ela. Antes da prova, costumo dar uma repassada no conteúdo estudado. Estou sempre lendo, sempre interado. Não tenho preocupação, se a gente entrar na sala preocupado, o cérebro ‘bloqueia’ tudo”, comenta.

Deixe seu comentário