Ensino remoto segue autorizado e válido em todo o País. FOTO: PIXABAY

Modelo híbrido é opção da maioria das instituições

O modelo híbrido de ensino, dividido entre atividades presenciais e a distância, deve continuar dentre as principais universidades do Rio Grande do Sul nesse início de 2021. Em Montenegro, no caso da Uergs, as aulas retornam em 15 março ainda exclusivamente de forma remota. Já na Unisc, só algumas atividades práticas que ocorrerão de forma presencial e com protocolos de distanciamento. As atividades iniciam no dia 1º e, muito em breve, com uma novidade importante. “Estaremos inaugurando a possibilidade de algumas aulas teóricas presenciais com transmissão ao vivo, permitindo a participação de todos os alunos”, adianta o pró-reitor acadêmico, Rolf Fredi Molz.

A normalidade, pré-pandemia, não volta tão cedo em nenhuma instituição. Na Univates, em Lajeado, o ano letivo já começou na última quarta-feira, dia 17, também só de forma remota. Em março, a presencialidade começa para as aulas práticas com o modo híbrido e um escalonamento das turmas para evitar aglomerações. “Sabemos que há um largo caminho até chegarmos a um patamar seguro de imunização da população. Enquanto isso, é preciso tocar a vida e seus projetos, adaptando-os às condições possíveis”, coloca a vice-reitora, Fernanda Pinheiro.

Na Feevale, de Novo Hamburgo, o início ficou para o próximo dia 22, só de forma online. A universidade também avalia a possibilidade da implementação do modelo híbrido no próximo mês, mas ainda não anunciou sua definição. Na UCS, que tem campus em São Sebastião do Caí, a volta às aulas acontece em 1º de março, mas também ainda sem uma definição concreta sobre o formato. “As atividades práticas e os estágios curriculares obrigatórios seguirão orientações de acordo com as unidades concedentes e a infraestrutura dos laboratórios”, adiantou a instituição, em nota.

Também em 1º de março voltam às aulas os alunos da Unisinos, de São Leopoldo. O modelo será híbrido e, com ele, os estudantes que não desejarem ou estiverem impedidos de ir ao campus poderão optar por acompanhar as atividades presenciais de forma simultânea e remota. Os alunos terão as primeiras semanas para optar pelo modelo que quiserem. Na Ulbra, o retorno tem a mesma data; ainda com as aulas virtuais e com as disciplinas práticas presenciais.

Na PUC, o retorno ocorre no dia 3 de março com o modelo híbrido e, segundo a instituição, flexível de acordo com as condições e os desejo dos alunos. Haverá a oferta de um conjunto mínimo de atividades presenciais em todos os cursos, além das práticas obrigatórias que já são realidade desde o ano passado. Já a Ufrgs volta no próximo dia 25, ainda com o ensino remoto que se estenderá até 29 de maio para encerrar o calendário ainda do segundo semestre de 2020.

Deixe seu comentário