Carlos Batista da Silveira

RECURSOS serão aplicados no custeio, que aumentou com o novo coronavírus

A ampliação de despesas com a compra de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), medicamentos e o reforço nas equipes para o enfrentamento da pandemia de coronavírus estão aumentando as despesas de custeio do Hospital Montenegro. Para amenizar as dificuldades de caixa, a direção espera a liberação de quase R$ 1 milhão pelo governo federal. São verbas do Ministério da Saúde conseguidas através de deputados federais e senadores por meio de emendas ao orçamento da União.

O diretor administrativo do HM, Carlos Batista da Silveira, está ansioso pela disponibilização do dinheiro, que costuma ser anunciado com entusiasmo pelos parlamentares, mas demora a chegar. “Na verdade, esses valores são repassados primeiro para o governo do Estado e só depois chegam até nós”, explica, acrescentando que a burocracia impede sua aplicação imediata.

Dos valores prometidos para o combate à Covid-19, R$ 168 mil referem-se a uma emenda proposta pelo senador Paulo Paim (PT). O restante, num total de R$ 700 mil, são contribuições de cinco deputados federais de diversos partidos e um estadual. Também há emendas para ampliação e manutenção de outros setores da casa de saúde, igualmente aguardando liberação.

Nesta semana, o Hospital 100% SUS recebeu R$ 109.766,18 de duas instituições locais. A Câmara de Vereadores repassou R$ 49.767,00, um saldo da verba mensal a que tem direito, o chamado duodécimo. E R$ 59.999,18 vieram do Conselho Municipal do Idoso, oriundo de captação própria.

A origem das emendas

Deputado Federal Lucas Redecker (PSDB) R$ 200.000,00
Deputado Federal Bibo Nunes (PSL) R$ 200.000,00
Senador Paulo Paim (PT) R$ 168.000,00
Deputado Federal Dionisio Marcon (PT) R$ 100.000,00
Deputado Federal Bohn Gass (PT) R$ 100.000,00
Deputado Federal Maurício Dziedricki (PTB) R$ 100.000,00
Deputado Estadual Airton Lima (PL) R$ 100.000,00
Total R$ 968.000,00

Deixe seu comentário