FOTO: REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL

A partir desta quarta-feira, 15, a Petrobras está com novos preços para os combustíveis vendidos nas refinarias. A gasolina ficou 8% mais barata e o diesel, 6%. Com dez reduções neste ano, o preço da gasolina acumula uma redução de 48,2%. O do diesel, nos tipos S10 e S500, 35,4%.

Varia entre refinarias, mas o percentual desta semana deve representar entre oito e nove centavos de diminuição no valor de ambos os combustíveis. Já o valor final cobrado do motorista nos postos, segundo a estatal, dependerá do mercado, já que cada estabelecimento tem sua própria política de preços, sobre os quais incidem impostos, custos operacionais e de mão de obra.

O valor da gasolina no Rio Grande do Sul também deve ser pressionado, para baixo, pelo ICMS. É que haverá uma redução do preço de pauta da gasolina a partir de amanhã, 16 de abril. Esse é o valor sobre o qual o governo estadual aplica a alíquota de 30% do ICMS a ser recolhido pelas empresas. É definido de acordo com o preço médio praticado no Rio Grande do Sul; e passará de R$ 4,65 para R$ 4,42. O tributo é um dos principais custos embutidos no valor do produto.

Essas quedas no valor do petróleo, que refletem nos combustíveis, são conseqüência da desaceleração da economia global por causa da crise do coronavírus; e de uma disputa entre países produtores, que acabaram aumentando a oferta num período em que a demanda diminuiu drasticamente.

Segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço médio para a gasolina nos postos brasileiros, entre 29 de março e 4 de abril, era de R$ 4,298. No período, porém, alguns postos já vendiam o produto por menos de R$ 4,00. Hoje, em alguns estabelecimentos gaúchos, se encontra o combustível por até R$ 3,55.

Na semana passada, a reportagem do Ibiá questionou os empresários do setor em Montenegro sobre a demora para que essa redução chegue aos estabelecimentos da cidade. Dentre as justificativas dos responsáveis pelos postos, estava a dificuldade de negociação com as distribuidoras, que ainda teriam estoque do produto com valor antigo; e o maior fluxo de clientes e pessoas nos lugares onde o preço baixou mais.

Ao anunciar a nova redução nas refinarias, a Petrobras esclareceu que a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras são diferentes dos produtos vendidos nos postos de combustíveis. Das refinarias saem os combustíveis tipo A (gasolina antes da sua combinação com o etanol e diesel sem adição de biodiesel). Os produtos vendidos nas bombas ao consumidor final são formados a partir do tipo A misturados a biocombustíveis.

Deixe seu comentário