Além das belezas naturais dos parques, visitantes também buscam as águas para se refrescarem. Banho só é permitido na presença de salva-vidas e respeitando limites impostos

Por causa da pandemia, visitantes são orientados a seguirem uma série de regras

Medição de temperatura na chegada, manutenção do distanciamento social e uso de máscara ao circular nas dependências dos parques. Essas são as medidas pelas quais turistas que vão aos parques municipais da Cascata Vitória e da Cachoeira Maratá, em Maratá, passam por conta da pandemia do novo coronavírus. As ações servem para prevenir que o vírus se espalhe e não atrapalham no momento de lazer buscado por centenas de pessoas ao longo da temporada.

Magali e Sandro visitaram o Parque da Cascata Vitória pela primeira vez e se encantaram

Exemplo disso é o casal Sandro de Vargas, 51 anos, e Magali Araújo, 50, de Canoas, que visitou no último sábado, dia 9, o Parque Municipal da Cascata Vitória. “A pandemia nos preocupa. Faz muito tempo que a gente não sai (para passear). Estou me sentindo esquisita por estar sem máscara, mas o pessoal está mantendo o distanciamento”, observou Magali. Ela conta que o casal ficou sabendo do local ao fazer uma busca pela internet na manhã de sábado mesmo.

Ao chegar no local, eles foram surpreendidos positivamente. “O parque é muito legal e tranquilo. Muito tranquilo”, destacou Sandro. “É como curtir um paraíso. Natureza é muito bom”, complementou. Quem também aproveitava a natureza do Parque Municipal da Cascata Vitória no último sábado era a estudante de veterinária Luisa Scherer, 31 anos.

Ao contrário do que fazem muitos turistas, ela optou por se refrescar junto à extensão do Arroio Brochier e não próximo da cascata. “Eu já conhecia a cascata e vim pela calmaria, pela tranquilidade”, comentou. Aliás, vale lembrar que o banho nos parques só é permitido quando há salva-vidas presentes e respeitando os limites impostos. “Gosto daqui porque é bonito e também é uma oportunidade de sair da cidade”, reforçou a moradora de Montenegro. Ela salientou, ainda, que as medidas de prevenção à pandemia adotadas lhe deixam tranquila para aproveitar o momento.

Família Stradek se reuniu num passeio bonito e seguro

No Parque Municipal da Cachoeira Maratá a cena vista na Cascata Vitória se repetia: medição de temperatura na entrada e grupos mantendo o distanciamento social. No entanto, como também foi observado na Cascata Vitória, a orientação de se usar a máscara ao circular pelo parque não era respeitada por todos.

“Há a pandemia, mas estamos tomando os cuidados”, comentou Solange Stradek, 36 anos. A moradora de São Pedro da Serra salientou, ainda, que a ida ao Parque Municipal da Cachoeira Maratá era para relaxar. “E também para mostrar para eles o parque”, reforçou o companheiro de Solange, Everton Gallas, 31 anos, referindo-se à irmã e ao cunhado de sua mulher. Eles também estavam com os filhos Thomas, 5, e Thobias, 9 meses.

Simone Stradek, 35 anos, e Luis Felipe Oliveira, 35, moram em Porto Alegre e ficaram conhecendo o parque na visita em família realizada no último sábado. “O parque é maravilhoso, melhor que praia”, garantiu Simone. “Está bem organizado e sem aglomerações”, complementou.

Turistas recebem panfletos com orientações
Ao chegarem aos parques municipais com cascatas em Maratá, os turistas recebem folhetos com orientações sobre os cuidados quanto à pandemia e também quanto ao banho. De acordo com o secretário de Turismo e Desporto de Maratá, Alexandro Haupenthal, essa divulgação é feita desde o começo da temporada, que teve início no primeiro fim de semana de dezembro e se encerra no último fim de semana de março.

“Nós seguimos os protocolos de segurança e pedimos que o pessoal cumpra-os”, destaca o ecônomo do Parque Municipal da Cascata Vitória, Sérgio Valmor Schneider. No comando do espaço desde o final de 2019, ele conta não ter observado muita mudança no movimento por conta da pandemia.

Grupos de turistas realizam o distanciamento, umas das orientações dadas por conta da pandemia

O ecônomo salienta que tem um projeto cuja proposta é que os turistas passem o dia no local aproveitando a sombra e também a água para se refrescar. Por isso, não há mais a opção de acampar no local. No Parque Municipal da Cachoeira Maratá há espaço para camping, no entanto, por causa da pandemia, sua capacidade de ocupação foi restringida a 30%.

“A temporada está boa. Eu, particularmente, achava que com a pandemia o povo iria ficar em casa, mas, pelo contrário, estão saindo muito”, analisa o responsável pelo Parque Municipal da Cachoeira Maratá, Valdecir Antônio da Rosa. O ecônomo acrescenta que o local possui o selo Turismo Responsável, um programa do ministério do Turismo que estabelece boas práticas de higienização para cada segmento do setor criado como um incentivo para que os consumidores se sintam seguros ao viajar e frequentar locais que cumpram protocolos específicos para a prevenção da Covid-19.

Saiba mais
Para entrar nos parques é cobrada uma taxa de manutenção de R$ 7,00. Veículos podem ser estacionados dentro deles ao custo de R$ 10,00 para carros e R$ 5,00 para motos.
Os parques estão abertos de terça-feira a domingo, das 8h às 19h. O banho só é permitido quando há presença do salva-vidas – nos sábados, domingos e feriados – e o banhista deve respeitar os limites do espaço para banho.
Não é permitida a entrada com bebidas nos parques, com exceção de água.

Deixe seu comentário