Em Três Coroas o grupo praticou Rafting

As férias de inverno passaram e o período de relaxar no verão ainda está um pouco longínquo. Porém, nem sempre as pessoas conseguem tirar férias nestas épocas e planejam viagens conforme a disponibilidade ao longo do ano. Ou seja, há quem viaje fora de época, sozinho ou acompanhado. Você não lerá dicas de destinos ao longo das próximas linhas, mas histórias de quem viaja entre amigos, compartilhando roteiros e bons momentos.

Recentemente o grupo esteve turistando pela nova Orla do Guaíba, em Porto Alegre

Recentemente, no início de agosto, alguns integrantes do elenco de Deus Salve o Rei foram à Grécia, após o término da novela. Muitos famosos que não estavam pelas paradisíacas praias começaram a criar montagens para “mostrar” que estavam reunidos em território grego, com a galera toda. Mas você não precisa ser famoso para viajar com quem gosta nem precisa ser uma “trip” muito extensa.

Passeios entre casais, pequenos ou grandes grupos também podem ser motivo de diversão. Conhecer novos lugares, mesmo que não sejam distantes, já vale como algo diferente e prazeroso, que saia da rotina. Em conjunto, novas percepções de viagem podem aparecer, enriquecendo o aprendizado e as experiências culturais.

Cinco amigos, muitas viagens
Para ilustrar esta ideia de passeios e viagens entre bons amigos, a história destes montenegrinos parece ser perfeita. Elisângela da Silva Oliveira e Ricardo Oliveira são pais da Giovanna da Silva Oliveira e conheceram o casal Denise de Souza Pessoa e Alexandre Miranda Pessoa há 10 anos. Nos últimos cinco anos, todos eles viajam em grupo.

A primeira vez que saíram juntos foi para a capital, Porto Alegre. Foi apenas um passeio para realizarem compras. “A partir daí programamos ir a Gramado e não paramos mais. Denominamos o nosso grupo de ‘turistando’”, afirma a professora Elisangela. Os destinos e rotas são planejados em equipe, no entanto, existem as saídas de última hora, bastando uma mensagem no celular.

Uma nova viagem já está sendo planejada pelo quinteto. “Nossos passeios incluem roteiros turísticos, esportivos, gastronômicos, de aventura, de lazer e de compras”, revelam. Na hora de pagar a conta final, as despesas são divididas entre todos os viajantes. Segundo eles, os momentos juntos são tão agradáveis que tem fortalecido a amizade.

Foz do Iguaçu foi o destino mais longo do “turistando”. Planejada com muita antecedência, a viagem durou 15h até o Paraná. “No dia em que fomos conhecer as Cataratas do Iguaçu, chovia muito, mas isso não atrapalhou nosso turistando. Nos divertimos mesmo assim”, dizem. É bem provável que os Cânions, em Cambará do Sul, sejam conhecidos em breve pelos dois casais e Giovana.

Integração e novas amizades
Giovana Ávila, consultora de vendas e professora de História, cita uma frase de Santo Agostinho para falar de viagens. “O mundo é um livro e aqueles que não viajam leem apenas uma página.”, diz. Para ela, sejam viagens curtas ou longas, estando entre amigos a tendência é automaticamente passar maior tempo com quem ela escolheu para acompanhar no destino.

Giovana Ávila com o filho e amigos no Morro da Borússia

Porém, se for sozinha, existem outras vantagens. “Quando em “solo trip”, a oportunidade de ampliar a integração com novas pessoas é muito maior”, afirma. Segundo Giovana, a quantidade de amigos depende do destino e da quantidade de dias. “Para o veraneio o número é ilimitado, porque quanto mais pessoas para compartilhar atividades ao ar livre com a leveza das férias, mais garantida será a diversão”, conta.

Em Buenos Aires, a professora de História também esteve acompanhada de boas amizades

Para uma viagem cultural, a consultora de vendas prefere no máximo duas ou três pessoas, que compartilham dos mesmos interesses que ela. “Independente do destino escolhido, acredito que conhecer quem vai partilhar estes momentos é o fundamental”, finaliza.

Viagens feitas no “turistando”
Porto Alegre (várias vezes)
Gramado (várias vezes)
Canela
Três Coroas
Capão da Canoa
Canasvieiras (SC)
Veranópolis (Restaurante giratório)
Bento Gonçalves
Carlos Barbosa
Foz do Iguaçu
Torres
Paraguai
Argentina
Teutônia

Deixe seu comentário