Materiais de construção e outras doações da comunidade escolar e empresas ajudam no processo de reconstrução. Foto: Divulgação/EEEM São José do Maratá

Promoções e doações aceleram arrecadação de fundos para reconstrução do educandário

Com a mobilização da comunidade escolar, pouco mais de um mês após um incêndio destruir cozinha, banheiros e espaço de convivência da Escola Estadual de Ensino Médio (EEEM) São José do Maratá, em São José do Sul, o educandário já conta com recursos para efetuar parte da obra, equipar a cozinha e restabelecer o atendimento. A afirmação é do diretor da instituição, Júlio Ricardo Hoerlle.

O diretor reforça o envolvimento da comunidade no processo de reconstrução da área. “Várias pessoas estão doando seja produtos para a confecção da pizza, seja materiais de construção ou de cozinha e também estão disponibilizando mão de obra”, conta. Júlio destaca que empresas também estão colaborando com doações. Ele também salienta a participação da comunidade, em diversos dias de revezamento, na retirada dos entulhos gerados pelo incêndio. Por conta da pandemia do novo coronavírus, essa ação foi realizada com todos os cuidados necessários para evitar a disseminação do vírus.

Sobre a obra, Júlio diz que um projeto com memorial descritivo e planilha orçamentária para que seja possível efetuar o empenho de forma emergencial está sendo construído. “O Conselho de Pais e Mestres (CPM) se responsabilizou por parte da obra para que o empenho esteja no limite da dispensa de licitação, o que torna o processo menos burocrático”, revela. No entanto, ainda há barreiras a serem superadas. Como exemplo o diretor cita o fato de o orçamento ter sido realizado no Sistema Nacional de Planilha Orçamentária. No entanto, o Estado não aceita custos orçamentários feitos nesse sistema e um representante da secretaria estadual de Obras e Habitação precisa fazer a adequação.

Júlio salienta que na madrugada do dia 30 de junho, quando ocorreu o sinistro que destruiu parcialmente a EEEM São José do Maratá, eletrônicos que não estavam na área incendiada também foram danificados em razão de uma descarga elétrica. Entre eles estão dois aparelhos de ar-condicionado de 12 mil BTUS, uma televisão, três computadores e algumas câmeras de monitoramento. “Membros do Legislativo e da Prefeitura de São José do Sul estão dando suporte para a mais rápida recuperação”, destaca o diretor. Para ele, com as doações e as campanhas será possível restabelecer o educandário. “O recurso do Estado é importante para conseguirmos recuperar a escola em melhores condições”, reforça o gestor.

Ações buscam recursos para viabilizar reconstrução

Voluntárias produzem as pizzas que foram vendidas para drive thru. Foto: Divulgação/EEEM São José do Maratá

Segundo o gestor escolar, várias ações estão sendo realizadas para garantir a reconstrução da parte destruída. “O drive thru das pizzas está sendo um sucesso. Primeiro foram confeccionados 600 cartões e, depois, mais um lote de 400. Agora está esgotado, foram todos vendidos”, exemplifica. A entrega das pizzas ocorrerá em dois momentos. Na sexta-feira, dia 7, acontece a retirada na Sociedade Botafogo, no Centro, das 16h às 20h. Sábado, dia 8, o ponto de entrega será a Sociedade Santa Cecília, em São José do Maratá, das 14h às 18h.

Outra promoção em prol da escola é uma ação entre amigos que será sorteada no dia 15 de outubro, Dia dos Professores. Organizada pelo CPM, a promoção tem como prêmios itens doados pela comunidade. Os bilhetes custam R$ 2,00 e podem ser adquiridos com membros do CPM, alunos, ex-alunos e também na escola. A venda na escola ocorre exclusivamente nas quartas-feiras, das 8h às 17h, com atendimento individualizado.

Há, ainda, uma vaquinha on-line realizada por meio do site Vakinha. A ação vi internet pode ser acessada pelo link https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-a-escola-sao-jose-do-marata. Até a manhã desta quinta-feira, dia 6, já foram arrecadados R$ 7.601,75 pelo site de doações.

Deixe seu comentário